A+ / A-

Tecnologia

Gitamini, o robô que carrega as suas compras pela cidade

27 set, 2021 - 09:07 • Filipe d'Avillez

A nova versão do “assistente” da Piaggio é mais pequeno, mas também autónomo que a original.

A+ / A-

A Piaggio Fast Forward, uma empresa do grupo Piaggio, famoso pela produção da moto Vespa, anunciou recentemente a produção de uma nova versão do seu robô que carrega compras e bagagem pela cidade, seguindo o dono.

A Gitamini, uma versão mais pequena e compacta, mas com maior autonomia que a original Gita, tem um custo de perto de 1.600 euros e pesa 12 quilos, tendo capacidade para carregar até 10 quilos no seu interior.

Montado sobre duas rodas, a Gitamini assemelha-se a um aspirador, mas usa um sistema de visão – sem recurso a GPS ou a Bluetooth – para identificar e seguir o seu dono pelas ruas. Segundo o fabricante, basta colocar-se à frente do aparelho e carregar num botão para emparelhar e a partir daí ele segue a pessoa, a uma velocidade máxima de 10 quilómetros por hora. Isto, claro, desde que não haja obstáculos ou escadas pelo caminho.

Questionada sobre o risco de roubo, a Piaggio diz que não tem conhecimento de um único caso e que mesmo que alguém pegasse no robô para o levar para casa, de nada serviria uma vez que é preciso uma ligação segura ao telemóvel do proprietário para operar e para abrir, pelo que o ladrão ficaria com um aparelho imóvel com conteúdo inacessível.

A autonomia a Gitamini chega aos 30 quilómetros, mas citado pelo site de tecnologia “The Verge” o diretor executivo da Piaggio Fast Forward Greg Lynn diz que a maioria são usados para pequenas excursões citadinas de menos de dois quilómetros, apresentando-se assim como boas alternativas para o carro numa ida às compras. O "The Verge" nota, porém, que o aparelho é substancialmente mais barulhento do que seria de esperar.

Segundo o site do produto, o Minigita estará disponível para comprar a partir do dia 15 de outubro.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+