Tempo
|
A+ / A-

D.Rui Valério

Almirante Silva Ribeiro. "D. Rui Valério não vai deixar ninguém para trás"

10 ago, 2023 - 15:00 • Filipa Ribeiro

Como Chefe do Estado Maior General das Forças Armadas entre 2018 e 2023, o almirante António da Silva Ribeiro trabalhou com D. Rui Valério que acredita que vai ser um patriarca que não deixa ninguém para trás e muito atento à sociedade.

A+ / A-

Como Chefe do Estado Maior General das Forças Armadas, o almirante António Silva Ribeiro acabou por desenvolver uma relação com D. Rui Valério, bispo responsável pelas Forças Armadas e hoje nomeado como novo patriarca de Lisboa. “Acompanhou-me em várias missões e desenvolvemos uma relação de proximidade, respeito e até mesmo amizade. Conheço muitos bispos, mas acho que a Igreja deve rejubilar com a escolha para novo patriarca de Lisboa, por ter um grande sentido de responsabilidade e serviço”, diz.

À Renascença, o almirante António da Silva Ribeiro descreve D. Rui Valério com “um homem extraordinário”. Sublinha que enquanto esteve nas Forças Armadas como bispo, teve sempre muita proximidade com os militares e com a população das regiões onde se cumpriam missões. “Teve uma visão extraordinária no apoio religioso e psicológico a militares e às famílias”, diz.

O antigo Chefe Estado Maior General das Forças Armadas não duvida de que D. Rui Valério está agora à altura dos novos desafios e das questões que a Igreja hoje enfrenta, como os abusos sexuais. “D. Rui Valério é um homem muito atento à sociedade e tenho a certeza de que vai olhar com muita atenção para as mensagens que o Santo Padre deu a toda a igreja durante a Jornada Mundial da Juventude e de que vai interpretar estas mensagens para conduzir os destinos da igreja dentro dos grandes princípios da visão do Santo Padre, não deixando ninguém para trás”, afirma.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+