Tempo
|
A+ / A-

D. Américo Aguiar vai à Ucrânia para estar com os jovens. “Não podem vir até cá, vamos até lá”

11 jul, 2023 - 12:52 • Ângela Roque , Olímpia Mairos

O recém-nomeado cardeal reitera a disponibilidade para o serviço que o Papa Francisco lhe venha a pedir.

A+ / A-

O bispo auxiliar de Lisboa, nomeado no domingo cardeal pelo Papa Francisco, diz que o objetivo da sua deslocação à Ucrânia é ter um gesto de proximidade para com os jovens ucranianos que não poderão participar na Jornada Mundial da Juventude.

Já quanto à data e local exato da visita não são revelados por motivos de segurança.

Haverá um encontro de jovens, muitos jovens, que é costume no santuário que eu não sei dizer o nome, e que infelizmente não podem participar na jornada, e o gesto que queremos significar é: eles não podem vir até cá, nós vamos até lá para lhes dizer que estamos unidos de coração, de sentimento, de ajuda, de partilha, e que queremos a paz, acima de tudo queremos a paz”, diz D. Américo Aguiar.

Nestas declarações à Renascença, o presidente da Fundação JMJ acrescenta ainda que “não fazemos juízos sobre ninguém, mas queremos dizer que eles não podem vir cá, a montanha não pode vir a Maomé, ou Maomé não pode ir à montanha, assim será um gesto da nossa parte de ir ao encontro destes jovens que vivem numa situação inimaginável (…)”.

Gratidão pelas mensagens recebidas

O recém-nomeado cardeal aproveitou ainda para agradecer as muitas mensagens que tem recebido, pedindo – à semelhança do que costuma fazer o Papa Francisco – que rezem por si.

“Pela primeira vez na vida, não consigo corresponder aos SMS, ao WhatsApp e aos e-mails, não consigo”, conta, aproveitando a Renascença “para agradecer a todos, esmagadoramente anónimos, que fazem chegar a alegria e oração, e tudo isso. E o Senhor Presidente da República, Senhor Primeiro-Ministro, Presidente da República, vários responsáveis partidários. Não quero dizer toda a gente, porque senão parece que me estou a ‘armar ao cágado’, mas agradecer muito, na impossibilidade de o fazer um a um, agradecer muito, e principalmente agradecer que rezem”.

Disponível para acolher a vontade do Papa

Sobre a possibilidade de vir a ser também escolhido para ser o próximo Patriarca de Lisboa, como adiantou já o presidente da República, D. Américo Aguiar diz que as conversas entre Marcelo e o Papa são entre chefes de Estado. Pessoalmente pode apenas garantir que aceitará se for essa a vontade do Papa.

“Os chefes de Estado - o Santo Padre é chefe de Estado, o senhor Presidente da República é chefe de Estado -, eles que falem um com o outro sobre essas temáticas de Estado”, começa por afirmar, acrescentando que “no diz respeito a mim, aquilo que já disse e tenho dito sempre - ainda para mais agora, nesta circunstância -, nós estamos a rezar para que Setúbal tenha um bispo, estamos a rezar para que quando o senhor Patriarca chegar à situação de ser substituído, Lisboa também tenha um pastor”.

“O que dizemos às pessoas é que rezem para que Deus dê um pastor a essas comunidades. E um dia destes, Deus vai dar um pastor a essas comunidades, e nós rezamos agradecendo o pastor que Deus deu às comunidades. Se for eu, podem contar que digo que sim. Se for outro, podem contar que eu rezo por ele”, completa.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+