Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

D. José Ornelas é o novo bispo de Leiria-Fátima

28 jan, 2022 - 11:00 • Olímpia Mairos

O até agora bispo de Setúbal e presidente da Conferência Episcopal Portuguesa sucede ao cardeal D. António Marto, que pediu a resignação.

A+ / A-

D. José Ornelas foi esta sexta-feira nomeado bispo da Diocese de Leiria-Fátima pelo Papa Francisco. O até agora bispo de Setúbal vai suceder a D. António Marto.

O agora bispo eleito de Leiria-Fátima nasceu a 5 de janeiro de 1954, no Porto da Cruz (Madeira). Fez a sua formação religiosa na Congregação dos Sacerdotes do Coração de Jesus (Dehonianos) e foi ordenado padre a 9 de agosto de 1981.

Especialista em Ciências Bíblicas, com o grau de doutor em Teologia Bíblica pela Universidade Católica Portuguesa, foi professor desta instituição académica entre 1983-1992 e 1997-2003.

Na sua Congregação, foi superior da Província Portuguesa, cargo que assumiu a 1 de julho de 2000; foi eleito superior geral dos Dehonianos a 27 de maio de 2003, cargo que ocupou até 6 de junho de 2015, altura em que pediu para ir em missão para África.

Mas o Papa Francisco mudou-lhe esses planos e nomeou-o bispo de Setúbal, pedindo-lhe – contou na altura – que fosse “missionário” em Setúbal, porque “a Europa tem necessidade de redescobrir a sua dimensão missionária”.

Foi ordenado bispo no 25 dia de outubro do mesmo ano por D. Manuel Clemente, cardeal-patriarca de Lisboa, tendo tomado posse da diocese sadina nesse mesmo dia.

Na diocese que agora deixa, para assumir a de Leiria-Fátima, D. José Ornelas tem acompanhado sempre de perto os problemas sociais, tendo sido agraciado, em 2020, com a Medalha de Honra da Cidade de Setúbal.

O novo bispo de Leiria-Fátima, que tem como lema episcopal "O Filho do Homem veio para servir e dar a vida", preside, desde 2020, à Conferência Episcopal Portuguesa. Nas suas primeiras palavras, como presidente da CEP, D. José Ornelas afirmou que os bispos devem ser o “primeiro sinal da união da Igreja em Portugal”.

E foi como presidente da CEP que, em novembro passado, garantiu que a Igreja Católica portuguesa fará tudo “para apurar a verdade histórica” dos abusos sexuais cometidos por membros do clero português.

“Faremos tudo para proteger as vítimas, apurar a verdade histórica e impedir estas situações dramáticas que destroem pessoas e contradizem o ser e a missão da Igreja”, declarou, no discurso de abertura da Assembleia Plenária da CEP.

A diocese de Leiria-Fátima, que tem por padroeiros Nossa Senhora de Fátima e Santo Agostinho, foi criada pelo Papa Paulo III, a 22 de maio de 1545, a pedido do rei D. João III.

Extinta por motivos políticos, em 1882, foi restaurada em 1918. Em 1984, recebe o nome de “Leiria-Fátima”.

Desde a sua restauração, teve como bispos diocesanos: D. José Alves Correia da Silva, D. João Pereira Venâncio, D. Alberto Cosme do Amaral, D. Serafim de Sousa Ferreira e Silva e D. António Augusto dos Santos Marto.

Com cerca de 302.000 habitantes, a diocese tem uma área aproximada de 1.700 km2 e está dividida em 73 paróquias, pertencentes aos concelhos de Leiria, Marinha Grande, Batalha, Porto de Mós, Ourém e parte dos concelhos de Pombal, Alcanena e Alcobaça. Também pertence à diocese o Santuário de Fátima.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+