Tempo
|
A+ / A-

Arquidiocese de Braga

D. José Cordeiro é o novo arcebispo primaz de Braga

03 dez, 2021 - 11:00 • Filipe d'Avillez

Nasceu em Angola e veio para Portugal em 1975. Antes de ter sido nomeado bispo, foi reitor do Pontifício Colégio Português, em Roma. O até agora bispo de Bragança-Miranda sucede a D. Jorge Ortiga, que há mais de dois anos pediu a resignação por motivos de idade.

A+ / A-

D. José Cordeiro foi nomeado esta sexta-feira pelo Papa Francisco para suceder a D. Jorge Ortiga na Arquidiocese de Braga.

O atual bispo de Bragança-Miranda deixa, assim, a diocese transmontana para assumir aquela que é das mais importantes sedes em Portugal, pela sua importância histórica.

D. José Cordeiro nasceu em Angola, em 1967, tendo vindo em 1975 para Portugal, onde passou a viver em Alfândega da Fé.

Ingressou no seminário e foi ordenado padre em Junho de 1991. Foi consagrado bispo em 2011, tendo-lhe sido confiada a diocese de Bragança-Miranda.

Na altura da nomeação, D. José estava em Roma, onde era reitor do Pontifício Colégio Português e leccionava. No plano académico, tem licenciatura em Teologia, pela Universidade Católica Portuguesa, e licenciatura e doutoramento em Liturgia, pelo Ateneu de Santo Anselmo, em Roma.

É especialista em Liturgia. Na Conferência Episcopal Portuguesa, tem assento na Comissão Permanente, que assegura o funcionamento geral do organismo, quando não se reúne o plenário. Colabora com a Comissão Episcopal para a Liturgia e Espiritualidade e com a Comissão Episcopal para as Vocações e Ministérios.

Durante a década em que esteve à frente da diocese de Bragança-Miranda, D. José Cordeiro esforçou-se por modernizar a Igreja, em termos de evangelização e comunicações, e no combate à desertificação da região, uma preocupação que se agravou durante a pandemia.

Em 2016, foi nomeado para a Congregação para o Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos, um órgão da Santa Sé que supervisiona a liturgia e vida sacramental da Igreja em todo o mundo.

É um dos poucos bispos com presença nas redes sociais, incluindo no Facebook, onde interage com frequência. A sua conta no Twitter está inativa há cerca de dois anos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+