A+ / A-

Papa apela à participação na iniciativa “um milhão de crianças rezam o terço”

17 out, 2021 - 11:20 • Filipe d'Avillez

Em Portugal será no Santuário de Fátima que se reunirão milhares de crianças para rezar pela paz no mundo e fim das perseguições aos cristãos. Francisco rezou ainda pelas vítimas de atentados que aconteceram na última semana.

A+ / A-
O caminho da violência “é uma derrota para todos”, diz Papa Francisco
O caminho da violência “é uma derrota para todos”, diz Papa Francisco

O Papa apelou este domingo à participação na iniciativa “um milhão de crianças rezam o terço”, promovido pela fundação Ajuda à Igreja que Sofre.

No final da oração do Angelus, em Roma, Francisco agradeceu a todos os que vão participar. “Encorajo esta campanha de oração, que este ano é especialmente pede a intercessão de São José. Obrigado a todos os rapazes e raparigas que vão participar. Muito obrigado.”

Esta é uma iniciativa promovida pela fundação Ajuda à Igreja que Sofre. Todos os anos centenas de milhares de crianças e jovens rezam no dia 18 de outubro pela paz no mundo e em particular pelos cristãos perseguidos.

Este ano há já grupos inscritos de cerca de meia-centena de países diferentes, do Afeganistão à Zâmbia, passando pela Colômbia, Gana, Líbano, Perú, África do Sul, Serra Leoa, Sudão do Sul, Venezuela, Moçambique e Bósnia.

A inspiração para o evento tem as suas raízes numa frase do Padre Pio que, ao ver um grupo de crianças a rezar o terço disse “quando um milhão de crianças rezarem o terço, o mundo vai mudar”.

Os interessados podem inscrever-se no site da fundação Ajuda à Igreja que Sofre internacional, onde também podem obter material didático sobre a oração do terço. Os participantes são convidados a rezar o terço na segunda-feira, onde e quando puderem, mas quem puder deve tentar comparecer em Fátima, na Capelinha das Aparições, para rezar em conjunto. A iniciativa tem o apoio oficial do Santuário de Fátima e da Renascença, que transmitirá o rosário a partir de Fátima.

Francisco recorda vítimas de atentados

Já depois de ter recordado a iniciativa da fundação Ajuda à Igreja que Sofre, Francisco recordou as vítimas dos atentados terroristas que se registaram ao longo da última semana.

“Ao longo da última semana houve vários atentados, por exemplo Noruega, Afeganistão e Inglaterra que provocaram muitos mortos e feridos”, lamentou o Papa.

“Exprimo a minha proximidade aos familiares das vítimas e peço que se abandone o caminho da violência, que é sempre um caminho perdedor e representa uma derrota para todos. Não nos esqueçamos que a violência gera a violência”, disse Francisco.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+