Tempo
|
A+ / A-

Fundação AIS assinala visita do Papa ao Iraque com programa de apoio aos jovens cristãos

02 mar, 2021 - 12:42 • Olímpia Mairos

“Poder anunciar que poderemos vir a ter mil alunos até 2025, dando uma voz significativa e um futuro claro para os nossos jovens e seus pais, traz grande esperança”, afirma o arcebispo Caldeu de Erbil.

A+ / A-

Veja também:


A Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) vai assinalar a visita do Papa Francisco ao Iraque, a primeira àquele país do Médio Oriente, com o lançamento de um programa que considera “ambicioso” de apoio aos jovens cristãos.

Trata-se de um programa orçado em 1,5 milhões de euros e que envolve a Universidade Católica de Erbil (CUE), a capital da região autónoma do Curdistão Iraquiano, onde se concentra a maior parte da comunidade cristã deste país.

De acordo com a AIS, vão ser atribuídas “150 bolsas para estudantes universitários que frequentem aquele estabelecimento de ensino superior, para ajudar a promover a coesão social entre as várias religiões e proporcionar aos jovens estudantes cristãos a possibilidade de terem mais perspetivas de emprego no futuro”.

“Esta ajuda não só beneficiará jovens que esperam um futuro melhor, mas, ao mesmo tempo, será um poderoso sinal de solidariedade para com os cristãos e todas as outras minorias da região”, assinala o arcebispo Caldeu de Erbil e fundador da universidade, D. Bashar Warda, citado em comunicado, realçando que a CUE “é um farol de luz e um símbolo de esperança, especialmente para as gerações mais novas”.


A maioria dos estudantes da Universidade Católica de Erbil são refugiados ou deslocados internos, provenientes de várias zonas do Iraque e pertencem não só à comunidade cristã, cerca de 72%, mas também aos yazidi, 18%, e muçulmanos, 10%. Na universidade de Erbil é possível encontrar alunos oriundos de Bagdade, Basra, Diala, Duhok, Kirkuk, Nínive, Mossul, Sinjar e Sulaimaniya.

A educação desempenha um papel crucial para que a comunidade cristã permaneça neste país, evitando-se uma erosão que terá consequências dramáticas no futuro. Em 2003, havia cerca de 1,4 milhões de cristãos no Iraque. Hoje são apenas cerca de 250 mil.

O presidente executivo internacional da Fundação AIS, Thomas Heine-Geldern, destaca a importância deste projeto de ensino superior na coesão social e reconciliação no Iraque, tal como tem defendido o Papa Francisco.

“A Universidade Católica de Erbil é um projeto de importância crucial para os cristãos que desejam continuar no norte do Iraque e no Curdistão, uma vez que os ajudará a permanecer”, explica Thomas Heine-Geldern.

A Universidade Católica de Erbil, a única com estas características em todo o Iraque, oferece já vários cursos ao nível da licenciatura em áreas como a arquitetura ou engenharia civil, entre outras, tendo uma maioria (54%) de alunos do sexo feminino.

Atualmente, há 170 alunos matriculados, mas é desejo do arcebispo de Erbil que esse número venha a crescer já nos próximos tempos. Para isso, o programa de apoio da Fundação AIS pode vir a fazer toda a diferença dada a difícil situação económica que se vive no país.

“Precisamos trazer boas notícias às pessoas aqui presentes, durante a visita papal; poder anunciar que poderemos vir a ter mil alunos até 2025, dando uma voz significativa e um futuro claro para os nossos jovens e seus pais, traz grande esperança”, conclui o arcebispo Caldeu de Erbil.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+