Tempo
|
A+ / A-

Dois minutos bastaram. Maria de Belém saudou Marcelo, "o novo Presidente"

24 jan, 2016 - 20:50 • Carlos Calaveiras

A candidata presidencial assume a derrota e não tem dúvidas em dar a vitória a Marcelo já à primeira volta.

A+ / A-
Dois minutos bastaram. Maria de Belém saudou Marcelo, "o novo Presidente"
Dois minutos bastaram. Maria de Belém saudou Marcelo, "o novo Presidente"

Quarenta e dois minutos depois das 20h00, hora das projecções televisivas, a candidata presidencial Maria de Belém Roseira assumiu a derrota e felicitou “o candidato eleito Marcelo Rebelo de Sousa, o novo Presidente da República”.

“Endereço-lhe as minhas felicitações democráticas, pessoais pela sua vitória. Já tive ocasião de o fazer de modo directo”, salientou na sede de campanha.

“Assumo a derrota eleitoral”, disse a candidata, sublinhando que durante uma “campanha difícil” procurou dar o seu “contributo para o debate político e o aprofundamento da democracia”.

“Estivemos sem demagogia e sem populismo”, sublinhou Maria de Belém.

Nesta breve intervenção, reconheceu que “as eleições presidenciais revelam forte e progressiva abstenção que precariza democracia”.

Maria de Belém aproveitou ainda para saudar também os cidadãos no acto eleitoral de hoje. No entanto, a candidata referiu que as eleições presidenciais revelam uma “forte e progressiva abstenção” que “necessariamente precariza o funcionamento da democracia”. Na sua opinião, é preciso agora reflectir sobre os valores da abstenção e combatê-los.

Até porque, frisou, a “eleição do Presidente da República é um momento nuclear para a democracia e para a República”.

As projecções da SIC e da TVI apontam para a vitória de Marcelo Rebelo de Sousa nas eleições presidenciais deste domingo, enquanto a sondagem da RTP não exclui uma segunda volta, com um intervalo entre 49% e 54% dos votos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Jose marcelino
    24 jan, 2016 Sesimbra 22:03
    A abstecao e o sinal daquilo que os Portugueses comfiam nos politicos

Destaques V+