A+ / A-

João Duque n'As Três da Manhã

Corrupção.“Partidos levam aos lugares superiores no governo, pessoas que não deveriam ascender a esses lugares”

30 jan, 2024 - 11:35 • Teresa Paula Costa

Primeiro-ministro devia selecionar melhor os candidatos. Situação favorece o Chega.

A+ / A-
Corrupção. “Partidos levam aos lugares superiores no governo, pessoas que não deveriam ascender a esses lugares.”
Corrupção. “Partidos levam aos lugares superiores no governo, pessoas que não deveriam ascender a esses lugares.”

O economista João Duque disse nesta terça-feira que os partidos levam para lugares cimeiros do governo pessoas que estão ligadas a casos de corrupção e defendeu que o primeiro-ministro deve selecionar melhor os candidatos.

No programa As Três da Manhã, João Duque comentou a descida de Portugal no índice de perceção da corrupção, anunciada pela organização Transparência Internacional.

Para João Duque, “o sistema político que geramos e que estamos a desenvolver em Portugal e é praticado não ajuda”.

“Quando temos um governo que acaba por sair ligado a vários casos de corrupção, dá-nos a sensação de que o sistema está a gerar uma forma de levar ao poder quem depois tem comportamentos desta natureza”, ou seja, “estamos sucessivamente a assistir em Portugal a um desfilar de casos que não ajudam e, até mais, contribuem para o agravar desta situação”.

Para o economista, a raiz do problema está no facto de “os partidos acabam por levar até aos lugares superiores de colocação no governo, pessoas que não deveriam ascender a esses lugares”.

Por isso, apela a que “quem é nomeado primeiro-ministro tenha uma forma de escrutínio e de seleção de pessoas que leve a que apenas escolha aqueles que, aparentemente, pelo seu passado e pela sua forma de estar na vida, não vão aumentar esta sensação de que é tudo corrupto”.

A situação, reconhece João Duque, leva a que aumente a percentagem de jovens com intenção de votar no Chega.

“Um jovem que não tem memória, que chega e cresce num ambiente em que, sucessivamente, vai vendo que as pessoas ligadas ao poder atual estão muito contaminadas por estes casos, acaba por olhar para o espetro de partidos que se oferecem como alternativa e pergunta quem pode ser o meu representante da indignação contra isto”.

A resposta “acaba por ser o Chega”, pois é ele “que mais barulho faz, aparentemente, na praça pública”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+