A+ / A-

Crise política nos Açores

Depois do Continente, os Açores: Marcelo convoca eleições antecipadas para 4 de fevereiro

11 dez, 2023 - 16:23 • Tomás Anjinho Chagas

Presidente da República ouviu esta segunda-feira o Conselho de Estado. Chumbo do Orçamento regional precipitou crise e partidos pediram eleições antecipadas em uníssono.

A+ / A-

O Presidente da República convoca eleições antecipadas para 4 de fevereiro na Região Autónoma dos Açores. O segredo mais mal guardado foi confirmado por uma nota da presidência da República.

"O Conselho de Estado deu parecer favorável, por unanimidade dos votantes, à dissolução da Assembleia Legislativa Regional dos Açores, não se tendo, apenas, o Governo da República pronunciado por ser matéria autonómica", pode ler-se no documento entregue aos jornalistas presentes no Palácio de Belém.

Ou seja, todos os membros do Conselho de Estado concordaram menos António Costa, que por ser primeiro-ministro se absteve de comentar um tema que cabe ao governo regional decidir.

A decisão era de tal forma consensual que a reunião do Conselho de Estado - que normalmente se estende durante várias horas - durou perto de meia hora.

À saída, o presidente do governo regional, José Manuel Bolieiro, confirmou aos jornalistas que a decisão é "o que esperava", mas pediu que se espere para ouvir o que diz o Presidente da República.

Todos os conselheiros de Estado marcaram presença no Palácio de Belém, à exceção de António Lobo Xavier, antigo deputado do CDS, e António Damásio, neurocientista.

À mesa do Conselho de Estado sentaram-se, como é habitual, nomes como António Costa, primeiro-ministro, Augusto Santos Silva, presidente da Assembleia da República, Luís Marques Mendes, antigo líder do PSD, Ramalho Eanes e Cavaco Silva, antigos presidentes da República e os líderes dos governos regionais: Miguel Albuquerque (Madeira) e José Manuel Bolieiro (Açores). Entre outros.

Crise anunciada

O Governo liderado pela coligação minoritária do PSD/CDS/PPM tinha um acordo de incidência parlamentar com o a Iniciativa Liberal e Chega. Sobreviveu durante três orçamentos, mas neste quarto e último orçamento regional do mandato a oposição chumbou o documento.

A crise nos Açores levou até o atual presidente do Governo Regional, José Manuel Bolieiro a pedir eleições antecipadas. Além dos partidos que estão no poder, toda a oposição concordou que é hora de chamar os açorianos a votar novamente.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+