A+ / A-

Alexandra Leitão

Ideia do aumento do IUC afetar os mais necessitados é "simbolicamente grave"

20 out, 2023 - 19:30 • Pedro Mesquita com Redação

A deputada socialista considera que a medida "se justifica", contudo não deixa de sugerir, como alternativa, que "se calhar duas ou três medidas mais robustas, dirigidas às empresas mais poluidoras, teriam efeito superior ao que estes carros significam".

A+ / A-
Alexandra Leitão sobre aumento do IUC
Ouça a entrevista

A deputada socialista Alexandra Leitão considera "simbolicamente grave" que exista a ideia que o aumento do Imposto Único de Circulação (IUC) para carros anteriores a julho de 2007 afete as pessoas mais carenciadas.

À Renascença, a antiga ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública realça que "ninguém teum carro mais antigo porque quer" e teme que se esteja a criar a ideia que "são essas pessoas que acabam por ter uma oneração patrominial".

"A confirmar-se que é assim, acho que deve haver lugar a alguma correção", aponta.

"Pelo menos mitigar, seja eventualmente nos montantes, seja eventualmente na evolução para os anos subsequentes", complementa.

Do ponto de vista ambiental, Alexandra Leitão considera que a medida "se justifica", contudo não deixa de sugerir, como alternativa, que "se calhar duas ou três medidas mais robustas, dirigidas às empresas mais poluidoras, teriam efeito superior ao que estes carros significam".

E a deputada também neste aspeto reitera que se deve pensar se "na ponderação de interesses entre a questão ambiental e outros, não haveria outras medidas que eventualmente pudessem ter menos esta carga simbólica, que está a ter, de onerar as pessoas mais carenciadas".

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Manuel
    21 out, 2023 Vila Nova de Gaia 16:49
    Este dá com uma mão descontos diretos e tira com a outra descontos indirectos só com uma diferença aumentam os descontos e o que o outro dizia: vamos ter um monumental aumento de impostos: estes continusram e ainda os aumentam ou seja agora já não é um monumento é uma basílica de impostos. Mas ainda a pessoas a bater palmas nas costas destes irresponsáveis . Também sei que são os que nunca trabalharam e que não pagaram impostos. É por isso que estamos assim a pagar cada vez mais impostos. Quando num país por ter carro já é um luxo,está tudo dito.
  • Paulo
    21 out, 2023 vfx 09:10
    Srª deputada socialista,não é idéia nenhuma que o este brutal aumento de impostos,mais concretamente no IUC,vai afectar milhares de portugueses já de si pobres, é a realidade, e se o PS não vê,é porque não vive neste mungo real, o vosso mundo rosa não é o mesmo que milhares e milhares de pessoas constatm no dia a dia,são mais de 3.000.000 de viaturas,consideradas velas e poluentes por vocês.Acham que esye povo tem condições monetárias para trocar ou muito menos comprar carros novos e de preferência eléctricos?Esta medida suscitou de imediato uma indignação tão grande,uma petição com mais de 1/4 de milhão de assinaturas e uma contestação a todos os niveis como nunca visto,talvez seja a gota de água que transbordou este pote enorme de carga fiscal, de impostos,taxas e tachinhas que estamos subjugados.Acho que o PS deve pensar bem no que acabou de tocar, e já pensaram nos milhares e milhares de votos e simpatizantes que irão perder?Governar é saber acima de tudo saber gerir o dinheiro que não é dos governantes, é do povo, dos contribuintes que trabalham neste país,que se esforçam para levar com muito custo uma vida digna até ao fim do mês,Governar é também poupar onde deve ser poupado, e na classe politica deste país há muito onde se poderia poupar muitos milhões.Governar é saber trabalhar para desenvolver o país, para o país crescer e para o povo poder viver um pouco melhor e acima de tudo,gostar e ter esperança num futuro para os seus descendentes.

Destaques V+