Tempo
|
A+ / A-

"Sem sombra de dúvida"

Chega aponta conflito de interesses a presidente de holding da Defesa

30 set, 2023 - 16:09 • Susana Madureira Martins

Partido liderado por André Ventura propõe que presidente da IdD seja afastada ou se "contrate outra entidade" que não seja o Tribunal de Contas (TdC)" para fazer a auditoria" àquela empresa pública da área da Defesa. Alexandra Pessanha também é quadro do (TdC).

A+ / A-
O Chega considera que há "sem sombra de dúvida" um conflito de interesses em torno de Alexandra Pessanha, presidente da idD Portugal Defence, que também é quadro do Tribunal de Contas (TdC), entidade a quem o Governo pediu uma auditoria àquela empresa pública, na sequência da operação Tempestade Perfeita.
Em resposta a perguntas colocadas pela Renascença, o partido liderado por André Ventura refere mesmo que ou Alexandra Pessanha "é afastada da empresa e mantém-se o TdC como entidade auditora, ou se mantém Alexandra Pessanha e se contrata outra entidade para fazer a auditoria".
A necessidade de Alexandra Pessanha fazer esta escolha surge "a bem da transparência de um processo que já tem suspeitas e opacidade de sobra", salienta o Chega, numa referência ao caso Tempestade Perfeita.
Após a investigação da Renascença, o partido liderado por André Ventura dá razão às dúvidas levantadas pela Frente Cívica sobre a dupla condição de Alexandra Pessanha - presidente da idD e quadro do TdC, precisamente o Tribunal que está a auditar esta empresa pública.
"Como refere a Frente Cívica, existe grande probabilidade de as pessoas que compõem a equipa de auditoria da parte do Tribunal de Contas já terem trabalhado com Alexandra Pessanha, sendo, por isso, muito complicado garantir a independência desta auditoria", conclui a nota enviada à Renascença pelo Chega.

Depois de, em resposta à Renascença, PS e PSD terem afastado, qualquer eventual conflito de interesses torno deste caso, o Chega vem manifestar dúvidas por esta situação que envolve Alexandra Pessanha.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+