Tempo
|
A+ / A-

"Não vejo o que Galamba tem que ver com a TAP entre 2020 e 2022”, diz Costa

12 mai, 2023 - 18:11 • Diogo Camilo , Filipa Ribeiro

Primeiro-ministro diz entender que a comissão de inquérito à TAP "tem evoluído" mas lembra que o agora ministro das Infraestruturas era, na altura, secretário de Estado da Energia. E deixa um aviso sobre o SIS: “Temos de nos habituar a respeitar as instituições”.

A+ / A-

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou esta sexta-feira que é necessário “respeitar as instituições” e deixar a comissão parlamentar de inquérito à gestão da TAP fazer o seu trabalho.

Em declarações aos jornalistas em Lisboa, o chefe de Governo disse entender que a CPI “tem evoluído”, mas aponta que não percebe o que o agora ministro das Infraestruturas tem a ver com a gestão da TAP entre 2020 e 2022, que é o objeto de escrutínio da comissão.

“A comissão de inquérito abrange um período entre 2020 e 2022. O senhor ministro João Galamba na altura era secretário de estado da Energia. Não vejo o que tem que ver com a TAP entre 2020 e 2022”, disse.

Ainda assim, António Costa indicou ainda que vai deixar a comissão trabalhar: “Devo respeitar a Assembleia da República e deixar a comissão de inquérito fazer o seu trabalho, ouvir quem tem de ouvir, investigar o que tem a investigar e depois, em função das conclusões, veremos se há alguma ilação a retirar”.

Costa deixou ainda um aviso sobre o SIS: “Temos de nos habituar a respeitar as instituições”. “Tem sido tradição dos governos fazer escolhas criteriosas quanto a quem dirige o serviço de informações”, acrescentou.

“Não conheço censura sobre os serviços de informações”, disse o primeiro-ministro, que não comentou a troca de processos com o ex-governador do Banco de Portugal, Carlos Costa.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Americo
    12 mai, 2023 Leiria 19:04
    "..Devo respeitar a Assembleia da República e deixar a comissão de inquérito fazer o seu trabalho, ouvir quem tem de ouvir..." Como, tem poderes para a suspender a comissão ? Pois, está a arder em lume brando. " O senhor ministro João Galamba na altura era secretário de estado da Energia." Pois, ainda temos a investigação do litio. Não esquecer. Num País a sério, esse sr. Galamba, daria para porteiro de discoteca.

Destaques V+