Tempo
|
A+ / A-

Eleições antecipadas?

Montenegro garante que PSD "não está no bolso de ninguém" e diz estar pronto para eleições

12 abr, 2023 - 16:56 • Tomás Anjinho Chagas

Líder do PSD promete estar pronto para ser alternativa no imediato, se Marcelo o entender. Montenegro deixa recado ao Chega ao dizer que é "oposição ao Governo".

A+ / A-

É o murro na mesa e uma resposta ao Presidente da República. Depois de Marcelo Rebelo de Sousa ter garantido que não está "nem no bolso do Governo, nem no bolso da oposição", Luís Montenegro faz uma afirmação parecida.

"O PSD e o seu líder não estão no bolso de ninguém. Têm total independência naquilo que é a sua ação política", disparou o presidente do maior partido da oposição à entrada da tomada de posse dos novos órgãos sociais da CIP- Confederação Empresarial de Portugal, em Lisboa.

E para mostrar serviço, Luís Montenegro, em nome do PSD promete estar pronto para ser alternativa "hoje" se Marcelo Rebelo de Sousa convocar eleições antecipadas - cenário que o Chefe de Estado afastou esta semana. "O PSD assegura ao país, aos portugueses e também ao presidente da República que é uma alternativa de Governo ao Partido Socialista", promete o líder dos social-democratas.

Depois de Marcelo Rebelo de Sousa ter dito esta semana que não está "refém" do Governo, nem da oposição, e que a dissolução do Parlamento não é um cenário que esteja em cima da mesa, apesar de não abdicar deste poder, Montenegro apresenta-se como alternativa política no imediato.

"Estamos prontos para assumir todas as consequências da alternativa quando for oportuno. Em princípio teremos eleições legislativas em 2026, se o senhor Presidente da República fizer uma avaliação diferente e suscitar um momento eleitoral antes, nós estamos prontos hoje", sublinha o presidente do PSD em resposta aos jornalistas.

Montenegro não responde diretamente se as declarações do presidente da República enfraquecem o PSD, prometendo apenas que está "concentrado no papel como líder da oposição" e em ser "o próximo primeiro-ministro".

Depois de o Chega ter desafiado o PSD a apresentar uma moção de censura (uma vez que o partido de André Ventura só pode voltar a fazê-lo em setembro), o presidente do PSD deixa um recado ao Chega: "O PSD é oposição ao Partido Socialista e ao Governo e só ao PS e ao Governo", seca Montenegro.

TAP. "País não está em boas mãos"

Numa altura em que o ambiente político vai fervendo com as audições parlamentares no âmbito da Comissão de Inquérito à gestão da TAP, Montenegro não poupa o executivo e ironiza com as informações deixadas esta terça-feira pelo Chairman da empresa, Manuel Beja, no Parlamento: " Vão pedir esclarecimentos e depois redigem os próprios esclarecimentos que a empresa dá ao país", critica.
"Têm sido múltiplos exemplos de que o país não está em boas mãos com este Partido Socialista e com este Governo", defende o presidente do PSD, que não esclarece se o partido vai ou não apresentar uma moção de censura ao executivo.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+