Tempo
|
A+ / A-

"Terá de haver acordo" entre Governo e professores, diz Marcelo

25 fev, 2023 - 19:49 • Ricardo Vieira

Presidente da República espera que o entendimento entre o Governo e os profissionais do setor da educação aconteça "antes da Páscoa, para que o custo para o ano letivo não seja muito forte”.

A+ / A-

"Terá de haver um acordo" entre Ministério da Educação e professores, apelou este sábado o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

“Os alunos querem, a sociedade portuguesa quer, os portugueses querem. Portanto, qualquer que seja a fórmula, mais assim ou mais assado, é evidente que terá de haver acordo", declarou Marcelo Rebelo de Sousa, em declarações aos jornalistas, à margem de um evento na Voz do Operário, em Lisboa.

O Presidente da República espera que o entendimento entre o Governo e os profissionais do setor da educação aconteça "antes da Páscoa, para que o custo para o ano letivo não seja muito forte”.

O apelo de Marcelo Rebelo de Sousa acontece no dia de mais uma manifestação de professores e assistentes operacionais em Lisboa, convocado pelo Sindicato de Todos os Profissionais da Educação (Stop).

A ronda negocial entre Ministério da Educação e sindicatos terminou esta semana sem acordo, mas as conversões deverão continuar.

Para 2 e 3 de março, a Federação Nacional de Professores (Fenprof) tem agendadas greves de professores.

O secretário-geral da Fenprof, Mário Nogueira, admite que em cima da mesa está a possibilidade de uma greve às avaliações no segundo período.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Diz
    25 fev, 2023 Ele 20:14
    Então faça o mesmo que fêz com a Constança e o Eduardo Cabrita: force o governo a substituir o ministro da Educação. É que já se viu, que ao ritmo que avançam as negociações, tudo estará terminado, no Natal do ano que vem...

Destaques V+