Tempo
|
A+ / A-

António Costa: "Quem quer mudanças políticas tem que derrubar o Governo”

30 ago, 2022 - 16:13 • Ricardo Vieira

Primeiro-ministro responde à oposição e a agentes do setor da Saúde, quem pede uma mudança de rumo.

A+ / A-

Veja também:


A saída da ministra da Saúde, Marta Temido, não significa uma mudança das políticas do Governo, avisou esta terça-feira o primeiro-ministro, António Costa.

“Os diplomas são dos governos, não são do ministro A nem do ministro B. Achei graça até ver os principais críticos do Governo a dizer que o que importa é a mudança de políticas. Quem quer mudanças políticas tem que derrubar o Governo”, afirmou o primeiro-ministro.

António Costa, numa conferência de imprensa no Palácio de São Bento de reação à demissão da ministra Marta Temido, sublinha que as políticas do executivo receberam a luz verde dos portugueses nas últimas eleições.

“Este Governo tem as políticas que constam no programa de Governo e este programa foi legitimado pelo voto dos portugueses. Portanto, mudanças de políticas é com mudanças de Governo”, frisou o primeiro-ministro, depois de oposição e agentes do setor da Saúde pedirem uma mudança de rumo.

António Costa reforça que a troca de um ministro representa “uma mudança de personalidade, energia e estilo”, mas não “mudanças de políticas”.

“As políticas são do Governo, os decretos de lei não são da ministra A ou B, são do Governo. Portanto, este decreto será aprovado por este Governo, agora é natural e desejável que quem o preparou, negociou com os outros membros do Governo seja quem o apresenta no Conselho de Ministros”, declarou.

O primeiro-ministro agradece o trabalho de Marta Temido e diz que substituição da ministra da Saúde "não será rápida", devendo só acontecer após a apresentação da direção executiva do Serviço Nacional de Saúde, prevista para 15 de setembro.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • alguém
    31 ago, 2022 algures 08:23
    O Sr.Presidente da Republica tem de pensar bem se quer que Portugal continue neste caos ou se de facto teremos de mudar de politicas para começar um novo ciclo e tentar mais uma vez melhorar o país,cada vez se torna mais dificil fazê-lo,pois continuam a destrui-lo.
  • Maria Oliveira
    30 ago, 2022 Lisboa 22:40
    Mas não há políticas. O problema deste (des)Governo é, precisamente, a ausência de políticas (Saúde, Incêndios, Educação, etc). O único desígnio é a "comunicação", como meio de manterem o poder e a manjedoura. Nada mais do que isto .
  • Não estás Seguro
    30 ago, 2022 A arrogância tem um preço 19:55
    Tratamos do derrube do governo nas próximas Eleições Legislativas. Ou então quando partires para um cargo melhor em Bruxelas - aí esperamos que o Presidente honre a palavra dada e dissolva a AR convocando Legislativas antecipadas. Ou então, quando o Povo farto desta mediocridade, desta pobreza para uns e riqueza para outros, desta arrogância, venha para a Rua protestar em peso e obrigue o Presidente a demitir o governo como o Sampaio fez em tempos - e dentro de 1 mês, o Presidente já tem de volta a possibilidade de dissolver a AR e convocar Legislativas antecipadas...
  • EU
    30 ago, 2022 PORTUGAL 17:02
    " quem quer mudanças políticas, tem que derrubar o governo ", disse o Senhor Primeiro Ministro. Assim disse e fez Putin na Ucrânia. Para mudar a política Ucrânia, DERRUBOU tudo. E assim vai o mundo.

Destaques V+