Tempo
|
A+ / A-

Congresso PSD

“Estou contigo para o que der e vier”. Moedas arranca aplausos imediatos no Congresso

02 jul, 2022 - 18:23 • Tomás Anjinho Chagas

Carlos Moedas, atual presidente da Câmara Municipal de Lisboa, falou e os delegados aplaudiram. Moedas apontou a mira ao Governo e elogiou a capacidade de "liderança" de Luís Montenegro.

A+ / A-

“Que bonito, que bonito está o nosso PSD, que bonita está esta sala ”, foi a frase com que arrancou o discurso, a mesma que arrancou aplausos imediatos dos delegados ao Congresso.

Carlos Moedas, presidente Câmara Municipal de Lisboa começou por destacar as capacidades de Luís Montenegro. “Luís, o país está à tua espera. E eu estou contigo para o que der e vier”, num discurso de cerca de 10 minutos que marcou o segundo dia do Congresso.

Tu tens a fibra de um líder e eu tenho prova disso, tenho provas da tua liderança”, prosseguiu o autarca lisboeta.

Com a mira no Governo, Moedas disparou: “Uns pensam no poder pelo poder". E, dizendo que o PSD faz o contrário, usou-se do seu próprio exemplo. "“Há oito meses ganhei a Câmara de Lisboa, mas o PS ainda não acredita”.

As palavras de Carlos Moedas preencheram o Pavilhão Rosa Mota, destacando-se de todos os restantes discursos até ao momento, a medir pelos aplausos.

“Não se deixem guiar pela velha maneira de fazer política do PS” , pediu aos “companheiros”. O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, e agora cabeça de lista ao Conselho Nacional, defende que os portugueses “querem uma nova maneira de fazer política”.

Quanto ao tema da saúde, Carlos Moedas alinhou-se com o que tem pedido o PSD: uma articulação entre o setor público e o privado para dar resposta à afluência. "As pessoas já não querem saber se é público ou privado. As pessoas querem resolver a sua vida", garante.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+