Tempo
|
A+ / A-

Tal como está, BE chumba proposta de Orçamento do Estado para 2022

12 out, 2021 - 13:16 • Lusa

“Com esta proposta e sem a inclusão das medidas que o Bloco de Esquerda considera prioritárias, não vemos razão para alterar o sentido de voto do último orçamento", avisa Mariana Mortágua.

A+ / A-

O Bloco de Esquerda (BE) avisa que, tal como está a proposta apresentada pelo Governo, dificilmente haverá condições para aprovar o Orçamento do Estado para 2022 (OE2022).

Numa análise preliminar da proposta orçamental do Governo, a deputada do BE Mariana Mortágua foi questionada pelos jornalistas sobre o sentido de voto do partido no OE2022 já na generalidade.

“Com esta proposta e sem a inclusão das medidas que o Bloco de Esquerda considera prioritárias, não vemos razão para alterar o sentido de voto do último orçamento, que foi o voto contra. Esta decisão depende sempre de uma análise mais cuidada e é tomada pela direção do Bloco de Esquerda”, afirma Mariana Mortágua.

De acordo com a deputada bloquista, “a decisão do voto da generalidade será baseada nas propostas que, entretanto, forem negociadas com o PS”.

“Aquilo que analisaremos no momento da votação na generalidade é se houve uma aproximação ou não houve uma aproximação a essas propostas. Não tendo havido essa aproximação e se se mantiver o estado atual das coisas, consideramos que dificilmente haverá condições para viabilizar o Orçamento do Estado”, concluiu.

O ministro das Finanças, João Leão, disse esta terça-feira que "não seria compreensível" que o Orçamento do Estado para o próximo ano não fosse aprovado.

Durante uma conferência de imprensa de apresentação da proposta de Orçamento, João Leão disse que o Governo está sempre aberto a discutir com os outros partidos, mas piscou o olho à esquerda, sublinhando os aspetos desta proposta que já vão ao encontro das preocupações do PCP e do Bloco.

Noutra reações partidárias à direita, o PSD afirmou esta terça-feira que mantém a preocupação relativamente ao Orçamento para 2022 e que divulgará o seu sentido de voto "oportunamente", depois de analisar o documento "com responsabilidade".

A deputada Cecília Meireles afirmou que o CDS deverá votar contra a proposta de Orçamento, justificando que não ver razão para alterar a sua posição.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+