A+ / A-

Audições da comissão Banif arrancam após discussão do Orçamento

03 fev, 2016 - 16:47

Presidente da Assembleia da República apela ao "espírito independente" dos deputados que participam nesta comissão de inquérito.

A+ / A-

Veja também:


As audições na comissão parlamentar de inquérito ao Banif só vão arrancar depois da discussão do Orçamento do Estado para este ano.

A decisão foi anunciada aos jornalistas por António Filipe, o deputado do PCP que preside os trabalhos da comissão, no final da reunião de coordenadores que se seguiu à tomada de posse.

Ficou acordado que durante os próximos 15 dias, até à discussão na generalidade do Orçamento do Estado no Parlamento, os trabalhos da comissão vão ser dedicados à definição da metodologias, ao pedido de documentos e à escolha dos responsáveis que vão ser chamados a responder perante os deputados.

Mas o início das audições pode ser adiado por mais algum tempo, já que depois da discussão na generalidade, vai haver a discussão na especialidade do Orçamento do Estado, que também vai exigir forte empenho dos grupos parlamentares.

A comissão parlamentar de inquérito à resolução e venda Banif tomou posse esta quarta-feira e tem a primeira reunião no próximo dia 11.

Os deputados têm quatro meses para analisar o processo que começou com a injecção de 1,1 mil milhões de euros de dinheiros públicos, em Janeiro de 2013, e terminou em Dezembro do ano passado, com o Santander Totta a comprar o banco por 150 milhões de euros e com uma factura para o estado de perto de 2,5 mil milhões.

Na tomada de posse dos coordenadores das diferentes bancadas parlamentares, o presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, pediu que os trabalhos decorram com “espírito independente”.

“Quando funcionam com espírito independente e de forma coesa, os resultados aparecem e o Parlamento prestigia-se aos olhos dos portugueses. Foi assim no passado e estou certo que poderá voltar a ser assim no caso presente”, declarou Ferro Rodrigues.

O PSD, que viu chumbada uma proposta que previa uma auditoria externa, vai avançar com o mesmo pedido, garantiu o deputado Carlos Abreu Amorim.

A comissão de inquérito é presidida pelo comunista António Filipe, que adiantou já ter sido pedido ao Ministério Público informação sobre se está a correr alguma investigação ao Banif.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+