A+ / A-
Perguntas e respostas

A crise do Banif. Dez perguntas e dez respostas

21 dez, 2015 - 18:21 • Redacção com Lusa

Que solução foi encontrada para o Banif? Sou cliente, há perigos para mim? O dinheiro do Estado põe em causa o défice e os planos do Governo? O problema podia ter sido resolvido antes?
A+ / A-

Veja também:


Que solução foi encontrada para o Banif?

O banco foi dividido em “banco bom” e “banco mau”. O “bom” foi vendido por 150 milhões de euros ao Santander, o “mau” terá um apoio público estimado de 2.255 milhões que visam cobrir contingências futuras, dos quais 489 milhões euros são da responsabilidade do Fundo de Resolução e 1.766 milhões de euros chegam directamente do Estado. A este valor que os contribuintes vão injectar no banco somam-se 825 milhões que entraram no banco de um total de 1.100 milhões que o Estado tinha injectado no Banif. No total, a Comissão Europeia diz que a ajuda do Estado pode ir até aos três mil milhões.

O dinheiro do Estado põe em causa o défice e os planos do Governo?

Sim. O défice deste ano já levou um aumento de um ponto percentual devido à injecção do Estado. O défice deverá ficar este ano nos 4%, mas tal não deve impedir Portugal de sair do procedimento por défice excessivo, segundo o ministro das Finanças, Mário Centeno. Nos próximos anos ocorrerá o restante impacto nas contas públicas. A secretária-geral adjunta do PS, Ana Catarina Mendes, garantiu que a intervenção do banco não mudará as políticas de “recuperação do rendimento dos portugueses”.

O dinheiro dos clientes está garantido?

Sim. A solução “garante a total protecção das poupanças das famílias e das empresas confiadas ao Banif, quer depósitos, quer obrigações seniores, bem como o financiamento à economia e a continuação dos serviços financeiros até aqui prestados”, disse o Banco de Portugal.

Sou cliente do Banif. O que muda na minha vida?

Os clientes podem realizar todas as operações como habitualmente, quer aos balcões, quer nos canais electrónicos. Os clientes do Banif passam a ser clientes do Banco Santander Totta e as agências do Banif passam a ser agências daquela instituição.

Havia outra solução?

O Banco de Portugal garante que não. No comunicado de domingo, anunciou que outra decisão levaria a “uma provável declaração de ilegalidade" por parte de Bruxelas ao auxílio do Estado ao Banif, o que “criaria uma gravíssima insuficiência de capital".

A opção, disse António Costa, “foi tomada tendo em conta a protecção dos depositantes, a defesa dos postos de trabalho, a salvaguarda da economia, em particular das regiões autónomas, e a defesa da estabilidade do sistema financeiro”.

Os postos de trabalho estão garantidos?

O Banif emprega 1.600 pessoas. António Costa disse no domingo que a solução encontrada era a que melhor defendia os postos de trabalho. Na segunda-feira, Mário Centeno disse que uma parte seria absorvida pelo Santander e outra parte pelo “banco mau”.

Havia outros candidatos à compra?

A administração do banco recebeu, na sexta-feira, seis propostas de compra. Foram conhecidas as ofertas dos bancos Santander e Popular, do fundo de investimento americano J. C. Flower, da Apollo e de um fundo sino-americano.

Qual o peso do Banif no sistema bancário português?

O Banif (em processo de reestruturação desde 2012) é o sétimo maior grupo bancário português e é líder de mercado nos Açores e na Madeira.

O problema podia ter sido resolvido antes?

Os partidos de esquerda e o PS estão convencidos de que sim e querem uma comissão de inquérito para fiscalizar o caso. A TSF deu a conhecer uma carta da comissária da Concorrência, Margrethe Vestagen, que reconhece que o problema do Banif foi adiado "devido à estabilidade financeira", e mais recentemente – em Dezembro de 2014 – "para não colocar em causa a saída de Portugal do Programa de Assistência Económica e Financeira", ou seja, para não perturbar a “saída limpa”.

O Banif continua cotado em Bolsa?

Não. A gestora da bolsa nacional decidiu retirar o banco do índice de referência da praça portuguesa. O PSI-20 que já só tinha 18 das 20 cotadas, ficará apenas com 17 títulos.


legislativas 2019 promosite
Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Jorge
    24 dez, 2015 vieira 19:30
    O que acontece ao dinheiro das minhas ações?
  • 24 dez, 2015 15:42
    So ladroes
  • gaspar
    23 dez, 2015 gondomar 12:29
    Precisa-se de jornalismo de investigação. Apurar toda a verdade, todos os responsáveis, incluindo os gerentes do BANIF que, com as suas decisões, geraram isto. Esses são os 1ºculpados, jugo eu.
  • ANTONIO CALIXTO
    22 dez, 2015 CACEM 21:28
    Meu querido país.Não creio que te voltes a levantar com toda esta cambada a sugar-te. Não pode continuar este saque sem que a constituição, os verdadeiros bons portugueses e a população em geral exija prisão prolongada para quem impunemente delapida os bens da NAÇAO. Como pode uma população, que sempre foi pobre, pagar os desvarios de umas centenas de inergumenos, que passam impunes por esta vida? Por mim continuo a votar em branco.
  • Henrique Santos
    22 dez, 2015 Elizabeth, N.J. 08:52
    O Estado Portugues injetou nos Bancos Milhoes de Euros e em todas as situac,oes esta' a ma' gestao dos seus Presidentes e por ironia da Justic,a Portuguesa nao a' nenhum desses Shr.s a pagar com prisao os delitos cometidos e muito menos processos de ideminizaca,ao ao Estado e Depositantes . Se a justic,a e' igual para todos poque nao se aplica a mesma aos Senhores da Banca Portuguesa .
  • Ze Fala Barato
    21 dez, 2015 Braga 22:35
    ate podem entrar os verdes,as politicas serao smepre as mesmas.Se um banco for a falencia deixai ir de vez.Alias todos os bancos em portugal estão falidos, sim sobretudo a caixa,só que vai sempre ate a ultima ate se tornar publico
  • agos
    21 dez, 2015 20:45
    Mais uma vez ninguem tem culpa, muito menos os srs da supervisão, pois os homenzinhos não tem tempo para estas coisas, tem é de gerir os poucos centimos que mensalmente lhe são creditados na conta. Mas há uns culpados, são eles os contribuintes, que vivem faustasamente e não se preocupam com estas coisas.
  • Miguel
    21 dez, 2015 Portugal 20:01
    Uma pergunta: se vamos lá meter 2255 milhões de euros, porque razão o banco não vai parar às mãos do Estado?
  • pituina
    21 dez, 2015 Lx 19:46
    Incrivel! Vamos todos pagar pela caca dos incompetentes e ladroes. E depois vamos pagar a dobrar para garantir o mesmo dinheiro! Ainda bem que vim para a Alemanha....
  • José Alves
    21 dez, 2015 Braga 19:37
    Como vai ser a situação futura das ações?