A+ / A-

Bombas de combustível cobravam 90 cêntimos antes de automobilistas começarem a atestar

27 mar, 2024 - 17:15 • Lusa

ASAE apreende equipamentos de combustível em Grândola por crime de especulação

A+ / A-

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) apreendeu, "em flagrante delito", dois equipamentos de abastecimento de combustível "em prática especulativa" em estações de serviço do concelho de Grândola, no distrito de Setúbal.

Segundo a ASAE, em comunicado, a operação levada a cabo pelos inspetores da Unidade Operacional de Évora permitiu detetar "em flagrante delito dois equipamentos de abastecimento de combustível (gasóleo e gasolina) em prática especulativa".

"No início de cada abastecimento, após o reinício do equipamento de contagem, antes de ser pressionado o manípulo da agulheta do equipamento pelo utilizador, o contador alterava-se automaticamente", pode ler-se.

A contagem iniciava-se, então, "em valores acima de zero, cobrando automaticamente 10 cêntimos, passando de imediato para 90 cêntimos, sem ter materializado qualquer tipo de abastecimento real" de combustível", acrescentou.

De acordo com a ASAE, está em causa o crime de especulação, tendo o valor da apreensão dos equipamentos ascendido a 13 mil euros.

Em causa estão "indícios do crime de especulação (delito antieconómico) e do crime de falsificação de notação técnica", disse.

Os equipamentos em causa "tinham sido sujeitos a controlo metrológico no presente ano, exibindo os respetivos selos de validade e de conformidade", tendo a autoridade procedido à "selagem e apreensão, de forma cautelar, para a respetiva perícia técnica".

Os factos foram comunicados ao Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP).

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Joaquim Correto
    27 mar, 2024 Paços 20:58
    Estes casos devia dar direito a 25 anos de prisão!

Destaques V+