A+ / A-

Agricultores. "Movimento Civil" sai para as estradas na quinta-feira

31 jan, 2024 - 12:30 • João Malheiro

O movimento exige a reposição imediata das ajudas ao setor e vai "lutar pelo direito humano à alimentação adequada, por condições justas e pela valorização da atividade".

A+ / A-

O Movimento Civil Agricultores de Portugal anunciou que vai realizar um protesto, esta quinta-feira, a partir das 6h00, nas estradas com máquinas agrícolas.

Em comunicado, o movimento, que se descreve como espontâneo e apartidário, refere que vai "lutar pelo direito humano à alimentação adequada, por condições justas e pela valorização da atividade".

"Os agricultores portugueses estão unidos e preparados para se defenderem do ataque permanente à sustentabilidade, à soberania alimentar e à vida rural", lê-se, no texto que tem o título "O nosso Fim, é a vossa Fome".

O movimento exige a reposição imediata das ajudas ao setor, a revisão da PEPAC, políticas agrícolas com diretrizes estáveis, ecorregimes adequados a cada território, congergência para a média da União Europeia, revisão do calendário de pagamentos, entre outras medidas.

A Confederação Nacional de Agricultores (CNA) também confirma que avança com marchas lentas e manifestações, mas não anunciou ainda uma data

Em nota publicada no site, a CNA revela que serão protestos regionais pela melhoria dos rendimentos no setor.

Esta quarta-feira, a outra confederação de agricultores - a CAP - reúne-se para debater o atual momento da agricultura. Está prevista, para o início da tarde, uma tomada de posição sobre os protestos dos últimos dias em países europeus.

Já durante esta manhã, à Renascença, várias personalidades do setor foram unânimes na necessidade de protestos e da falta de condições para os produtores.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+