Tempo
|
A+ / A-

Filósofo José Gil. “Está em jogo a cultura e a própria nação portuguesa”

12 jan, 2024 - 18:57 • Pedro Mesquita

Trinta por cento dos jovens nascidos em Portugal vivem fora do país. Que consequências tem para Portugal a saída de tantos jovens?

A+ / A-
Filósofo José Gil. “Está em jogo a cultura e a própria nação portuguesa”

Trinta por cento dos jovens nascidos em Portugal vivem fora do país e quase um terço das mulheres em idade fértil optou por sair. Estes dados constam do “Atlas da Emigração Portuguesa”, que será lançado na próxima semana, e já foram antecipados pelo semanário Expresso.

Na leitura do pensador José Gil, o resultado desta debandada será “uma cultura portuguesa com buracos” e uma "perturbação das relações sociais que ameaça a própria democracia”.

Este filósofo, sublinha – em entrevista à Renascença - que “o impacto não vai ser bom" porque, "como se diz sempre, a juventude é a geração que recebe a herança da nossa cultura e que a passa aos seus filhos, etc".

"Ora, se a juventude, uma importante parte da juventude – 30% é enorme - se vai embora, eu acho que vai ficar um buraco que tem que ser preenchido. E vai ser preenchido por quem?”, questiona.

“É muito diferente um estrangeiro que se forma em literatura portuguesa e um português que se forma em literatura portuguesa”.

José Gil salienta, por outro lado, que a saída de uma massa crítica em percentagem tão relevante vai provocar “buracos e lacunas”. “O que está em jogo é, muito simplesmente, a cultura e a nação portuguesa, o português”.

Na interpretação deste ensaista, “os políticos, que proclamam a importância decisiva da educação, em Portugal, não fazem". "A educação atualmente está um descalabro”, defende.

E saindo - como está a sair - toda essa massa crítica importante da nossa cultura, conclui José Gil, é que a própria democracia que pode ficar em causa. “Quando se começarem a ver os efeitos e os sintomas haverá uma perturbação ainda maior nas relações sociais e isso vai ser aproveitado, como é imediatamente aproveitado, pelo populismo...pelo populismo de extrema-direita. Isso é evidente. Portanto, é claro que é uma ameaça à democracia”, remata.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+