Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

Operação Influencer

Autarca de Sines pressionado: “Vou dizer-lhe não somos nós a falar, é o António Costa”

10 nov, 2023 - 13:56 • Liliana Monteiro , Fábio Monteiro

De acordo com a indiciação do Ministério Público, a que a Renascença teve acesso, a princípio, Nuno Mascarenhas, presidente da Câmara de Sines, ainda resistiu aos pedidos da Start Campus. Mas depois acabou por ceder e pedir contrapartidas. Operação Influencer levou à queda do primeiro-ministro António Costa.

A+ / A-

Nuno Mascarenhas, presidente socialista da Câmara de Sines e arguido da Operação Influencer, foi pressionado a facilitar processos administrativos referentes a terrenos anexos ao centro de dados da Start Campus. O atual ministro das Infraestruturas, João Galamba , chegou a falar também diretamente com autarca, indicam as escutas.

De acordo com a indiciação do Ministério Público, a que a Renascença teve acesso, a princípio, o autarca Nuno Mascarenhas ainda resistiu aos pedidos da Start Campus. Mas depois acabou por ceder e pedir contrapartidas.

Em maio deste ano, Mascarenhas alegadamente terá pedido um apoio de cinco mil euros à Câmara Municipal de Sines para patrocínio do Festival Músicas do Mundo e um valor não apurado para as equipas de futebol Vasco da Gama.

Segundo o Ministério Publico, o autarca foi ameaçado caso não atuasse de acordo com os interesses da Start Campus.

As ameaças transmitidas por Afonso Salema, da Start Campus; Rui Oliveira Neves, também da Start Campus; e Diogo Lacerda Machado, advogado/consultor contratado pela sociedade, e por terceiros, davam conta da possível retirada do apoio do PS numa futura eleição, assim como a subtração de poderes dentro da própria autarquia em matéria de urbanismo.

Galamba ligou diretamente ao autarca de Sines

Numa conversa telefónica a 24 agosto do ano passado, João Galamba, então secretário de Estado do Ambiente e da Energia, disse ao autarca de Sines: “Ó Nuno, vamos ter de marcar uma reunião qualquer convosco. Porque eu neste momento estou a receber queixas sucessivas do Município de Sines como um dos Municípios mais difíceis na relação com renováveis, epá, se vocês querem ser o porto que querem isso não pode ser pá”.

Na sequência de várias pressões e contactos, entende o Ministério Público, Nuno Mascarenhas acabou por firmar acordo a 25 de maio deste ano com as respetivas contrapartidas.

A indiciação descreve ainda aquele que é tido como outro problema para os promotores do Start Campus: uma arquiteta (alegadamente do PCP) da autarquia de Sines que estava a levantar várias questões e problemas ao andamento do projeto.

"Não somos nós a falar, é o António Costa”

O nome do primeiro-ministro, António Costa, surge numa das conversas entre o presidente executivo da Start Sines, Afonso Salema, e Miguel Borralho, diretor da Zona Industrial e Logística de Sines (ZILS), quando combinavam o diálogo a ter com o autarca de Sines por causa da referida arquiteta.

“Vou dizer-lhe não somos nós a falar, é o António Costa”, é dito.

E referido ainda: “Se o Escária [chefe de gabinete do primeiro-ministro] vai dizer ao Costa que esqueça os sonhos do datacenter porque existe uma arquiteta na Câmara que não quer trabalhar, o que achas que vai acontecer?”

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+