Tempo
|
A+ / A-

Hospitais em rutura

Hospital de Barcelos com serviços em risco. Autarca pede soluções ao Governo

02 out, 2023 - 12:58 • Isabel Pacheco

Situação “poderá prejudicar gravemente a prestação dos cuidados de saúde”, alerta Mário Constantino Lopes.

A+ / A-

Preocupado com a prestação dos cuidados de saúde à população, o presidente da câmara municipal de Barcelos, Mário Constantino Lopes, apelou esta segunda-feira ao diálogo entre médicos e o Ministério da Saúde para chegar um entendimento.

Em comunicado, a autarquia alerta que o encerramento da Cirurgia do Serviço de Urgência (SU) do Hospital Barcelense em outubro e da Urgência de Medicina Interna nos fins de semana devido à falta de médicos “poderá prejudicar gravemente a prestação dos cuidados de saúde à população de Barcelos e Esposende”.

Mário Constantino Lopes pede, por isso, que se coloque “um ponto final no conflito laboral” e exorta o Governo a encontrar “soluções para as reivindicações dos profissionais de saúde”.

Simultaneamente, acrescenta o autarca barcelense, “apelamos aos médicos para que, apesar dos sacrifícios que isso implica na sua vida pessoal e profissional, ponderem sobre esta forma de luta e não coloquem em risco a saúde e a vida das populações”.

Em causa está a recusa dos médicos em fazerem mais horas extraordinárias para além das 150 legalmente previstas.

A posição foi assumida pelos oito profissionais de Cirurgia no Serviço de Urgência, bem como, por 10 dos 12 médicos de Medicina Interna do Hospital de Barcelos. A situação obrigou ao encerramento da Cirurgia no SU e da Medicina Interna aos fins-de semana de outubro.

O Hospital de Santa Maria Maior, em Barcelos serve a população dos concelhos de Barcelos e Esposende, num total de 160 mil habitantes.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+