Tempo
|
A+ / A-

Autarca da Guarda pede tréguas e diálogo entre médicos e Ministério da Saúde

02 out, 2023 - 14:03 • Lusa

Sérgio Costa manifesta-se “muito preocupado” com a situação das Urgências do hospital nos próximos dias.

A+ / A-

O presidente da Câmara Municipal da Guarda, Sérgio Costa, apela ao “sentido de responsabilidade” de todos os intervenientes e pede que médicos e Ministério da Saúde “façam tréguas e dialoguem” em nome da saúde dos cidadãos.

“Apelo ao sentido de responsabilidade de todos os intervenientes, façam tréguas, se sentem à mesa e dialoguem. Não rebentem a corda, porque está em causa a saúde dos cidadãos”, sublinhou o autarca esta segunda-feira de manhã à Lusa.

Sérgio Costa manifesta-se “muito preocupado” com a situação das Urgências do hospital nos próximos dias onde deverão faltar especialistas por indisponibilidade dos médicos em fazer mais horas extraordinárias.

O autarca evidencia “a ética e a deontologia, a necessidade de haver negociações e o pragmatismo das decisões governamentais”.

“É por isso que peço que dialoguem pela saúde dos nossos habitantes”, apela.

O autarca diz entender a “legitimidade de quem reivindica”, mas pede responsabilidade alertando que “o que está em causa 50 anos depois do 25 de Abril é o estado da saúde, particularmente nesta região”.

“Façam o favor de dialogar e encontrem formas de convergência. Façam tréguas nas lutas. Pensem nos nossos cidadãos sobretudo nesta região, que tão envelhecida que está e com pessoas a necessitar de cuidados de saúde”, reforçou o autarca (eleito pelo Movimento pela Guarda).

Sérgio Costa destaca que o distrito da Guarda “com tantos concelhos e com regiões periféricas não pode ficar sem as especialidades médicas tão importantes”.

O autarca aponta ainda que os autarcas desconhecem o trabalho que possa estar a ser feito para resolver a situação, “porque nada lhes é referido” evidenciando a diferença de outras situações.

“Quando é preciso para outras coisas já sabem bater à porta dos autarcas”, critica.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+