Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

Obras do Metro do Porto agravaram impacto das cheias de janeiro, diz relatório

30 ago, 2023 - 09:29 • Olímpia Mairos

Documento do LNEC mostra que trabalhos de alteração da rede de drenagem e as características do estaleiro da empreitada contribuíram para a dimensão das inundações.

A+ / A-

O relatório pedido pela Metro do Porto ao Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC) conclui que os trabalhos de alteração da rede de drenagem e as características do estaleiro da empreitada foram fatores decisivos para o impacto das cheias de janeiro, na cidade do Porto.

De acordo com o jornal Público, que cita o documento, as inundações teriam existido na mesma, mas as obras do Metro do Porto agravaram o impacto que as cheias tiveram no eixo onde estão as ruas Mouzinho da Silveira e das Flores.

“As alterações à rede de drenagem e à superfície urbana alteraram as condições de escoamento, ocorrendo, em alguns locais, agravamento da inundação”, lê-se no relatório.

Ainda segundo o mesmo documento, na origem do agravamento da inundação naquela área também está a presença do estaleiro da obra na Praça da Liberdade.

Recorde-se que no 7 de janeiro de 2023, a elevada precipitação provocou cheias de grande dimensão na cidade do Porto. Vários estabelecimentos na zona adjacente à Estação de São Bento foram inundados e várias casas ficaram destruídas no Bairro das Fontaínhas.

A Metro do Porto afastou, na altura, a hipótese de que as obras para a construção da nova linha rosa estivessem relacionadas com a subida das águas, o que, agora, é contrariado pelo relatório do LNEC.


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+