Tempo
|
A+ / A-

IVA Zero

Se restaurantes compram a IVA Zero devem vender mais barato, diz bastonária

19 abr, 2023 - 15:39 • André Rodrigues , com redação

Bastonária discorda dos argumentos da associação dos restaurantes que diz que não compensa baixar o preço das refeições na sequência da isenção do IVA dos produtos essenciais.

A+ / A-

A bastonária da Ordem dos Contabilistas Certificados, Paula Franco, defende que, com a isenção do IVA em vários produtos alimentares, o setor da restauração tem margem para baixar o preço das refeições, contrariando, assim, os argumentos da Associação Pro.Var.

Em declarações à Renascença, Daniel Serra, da Associação dos restaurantes disse que, apesar de haver alguns produtos que passaram a beneficiar do IVA zero no momento da compra, não compensa baixar o preço no produto final que se coloca à mesa dos clientes, defendendo que a descida do IVA da restauração para os 6% seria uma "medida fundamental" para introduzir algum equilíbrio.

A bastonária da Ordem dos Contabilistas Certificados discorda desta posição da Pro.Var.

Ouvida pela Renascença, Paula Franco disse que os argumentos de Daniel Serra não são “uma justificação, porque isto tem a ver com o preço a que se adquire os bens que dão origem ao produto final”, ou seja, “se conseguimos comprar produtos a um preço mais barato isso terá efeito no preço final e pode-se baixar o preço final, neste caso da refeição confecionada porque os bens que lhe deram origem foram adquiridos a preços mais baixos.”

Para a bastonária, trata-se de “uma questão de vontade ou de ajustamento”, pois “a verdade é que compraram os bens por um preço ligeiramente inferior e podiam reduzir o seu preço final, se assim o entenderem”.

Questionada sobre a possibilidade da descida do IVA da restauração de 13 para 6% - outra das reivindicações do setor - Paula Franco diz compreender as preocupações dos empresários.

Contudo, “não posso considerar uma medida prioritária quando estamos a falar de uma situação que a maior parte dos portugueses não faz que é consumir refeições fora de casa”.

Têm é de ser ajudados na compra do seu cabaz de alimentos”, frisou Paula Franco.

A bastonária reconhece a vontade de incentivar as pessoas a continuarem a ir a restaurantes, mesmo com o aumento dos preços e que “a descida da taxa do IVA da restauração poderia incentivar a isso”, mas “não me parece que seja prioritário para as famílias que estão em dificuldades.”

Nesta terça-feira, entrou em vigor a medida de isenção de IVA em 46 produtos alimentares essenciais. Uma medida com o qual o Governo pretende aliviar o esforço financeiro das famílias portuguesas.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Nina conde
    17 mai, 2023 Algarve 18:33
    Essa senhora só poder estar de brincadeira. Ela não sabe que todos os demais custos associados à restauração estão entre 35 e 40% mais caros que nos anos anteriores? Ela sabe quanto custa hoje produzir comida para vender? Ela não sabe que há uma gigantesca crise de staff e alojamento e que as equipas estão a pedir aumentos aos patrões acima dos 40% para que consigam pagar suas rendas? Que o staff está caríssimo e pouco qualificado? Essa senhora não sabe que após o covid as rendas dos espaços voltaram a aumentar de preço estupidamente e que os proprietários dos restaurantes e bares têm todos esses custos para absorver, diluir de sua margem e repassar ao cliente final? Vê-se mesmo que essa senhora não trabalha com turismo e se calhar nao conhece UMA UNICA PESSOA que tenha um restaurantezinho. Valia mais era estar calada.
  • Adriano Gavinho
    21 abr, 2023 V n gaia 23:47
    A Sra. Bastonária muito provavelmente estará a pensar candidatar-se a algum cargo político. Se deseja iludir os Portugueses com esta questão do Iva, não pode continuar a exercer o cargo ou a profissão. Alguém, proximo que lhe explique.
  • Daniel
    21 abr, 2023 Braga 00:12
    A senhora bastonária não percebe nada de contabilidade. Os membros têm que correr com a senhora.
  • Manuel Araújo
    20 abr, 2023 Loures 22:18
    Pois agora compro produtos sem iva mas como e restaurante vou cobrar ao cliente os 13� iva que depois vou devolver ao estado e como nao paguei iva nao posso deduzir ao fim disto tudo o estado acaba sempre por ir buscar o iva de um produto que foi adiquirido a 0%iva
  • Americo
    20 abr, 2023 Leiria 14:42
    A sra. Bastonária está a esquecer o que é iva dedutível e iva liquidado ou está a fazer um "frete" ? O preço de custo com ou sem iva, não é o mesmo para os restaurantes, visto o iva incluído nas compras ser dedutível ? Em que ficamos ?
  • A. FERREIRA
    20 abr, 2023 OEIRAS 11:57
    Partindo de quem se trata é inconcebível tal afirmação. O IVA É NEUTRO NESTAS CONDIÇÕES NÃO O PAGA NÃO O DEDUZ. AGORA COMO ANTERIORMENTE SÓ O CUSTO DOS PRODUTOS ENTAM PARA A FORMAÇÃO DE CUSTOS O IVA NUNCA É NESTES CASOS UM CUSTO. Custa-me a compreender esta afirmação. Terá de a explicar para a eu a entender. Também sou CC há muitos mais anos que a Sr.ª Bastonária
  • Alfredo Martins
    20 abr, 2023 Porto 10:47
    Os estabelicimentos estão todos a ficar com o iva dos alegados produtos de iva zero. Por exemplo se um Kg de bananas custava 1 euro, já com iva a 6%, continua a custar o mesmo agora. A diferença é que o comerciante fica com esse iva para ele, em vez de o entregar ao estado. Enfim! Medida excelente para os comerciantes, não para o povo!!! É bem feito para quem votou nos socias.
  • Poligrafo verdadeiro
    20 abr, 2023 Porto 10:10
    Bastonária com curso tirado ao domingo, tem que marcar formação na occ porque nao sabe contabilidade, como pode ser bastonária da ordem do contabilistas, ainda tem a lata de dizer que os outros estão errados.
  • Carlos Medeiro
    20 abr, 2023 Beja 09:58
    Foi infantilidade esta descida pois todos perderam excepto a distribuição que faz CARTEL e viu melhorada a sua situação. Pura infantilidade e insanidade por quem decidiu esta medida. Não existem economistas a assessorar o A.C.?
  • Ilda sousa
    19 abr, 2023 Apúlia 19:35
    Todos os cêntimos fazem a diferença

Destaques V+