A+ / A-

Graça Freitas deixa DGS

29 dez, 2022 - 20:57 • Tomás Anjinho Chagas

A diretora geral da Saúde está prestes a terminar o mandato e pediu ao Governo para não ser reconduzida no cargo. No entanto Graça Freitas vai ficar na DGS até que seja encontrado um substituto.

A+ / A-

Graça Freitas vai deixar a Direção-Geral da Saúde (DGS). A notícia, avançada pelo jornal Observador, foi confirmada pela Renascença.

O mandato de Graça Freitas termina no final do ano e a responsável pediu para não ser reconduzida.

"O mandato da diretora-geral da Saúde termina no final do ano, tendo a Dra. Graça Freitas formalizado junto da tutela a sua vontade de não renovar a nomeação", refere uma nota do Ministério da Saúde, enviada à Renascença.

De acordo com o gabinete do ministro Manuel Pizarro, está assegurada a permanência de Graça Freitas no cargo "até à sua substituição".

O Ministério da Saúde agradece "a disponibilidade demonstrada pela diretora-geral da Saúde no término do seu mandato e todo o empenho e dedicação na liderança da Direção-Geral da Saúde ao longo dos últimos anos, de um modo especial na resposta à pandemia, a maior crise global de saúde pública do último século".

Especializada em Saúde Pública, Graça Freitas foi nomeada diretora-geral da Saúde em 2018, substituindo Francisco George. A ainda líder da DGS tornou-se um rosto familiar para os portugueses com as inúmeras conferências de imprensa que foram dadas durante a pandemia.

Em 2020, depois da confirmação dos primeiros casos de Covid-19, a DGS fazia atualizações diárias durante a tarde sobre os números e indicadores da pandemia em Portugal.

Casos políticos e bacalhau à brás. As "bocas" que marcaram 2022
Casos políticos e bacalhau à brás. As "bocas" que marcaram 2022
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+