Tempo
|
A+ / A-

Programa "Algarve seguro" gera controvérsia

27 jun, 2022 - 22:14 • Rafael Duarte

O Algarve vai receber mais meios de segurança durante a época alta. Para o Ministro da Administração Interna esse reforço é suficiente para responder às necessidades, mas o representante dos autarcas na região discorda.

A+ / A-

Com a chegada do Verão aumenta o número de habitantes e também o risco de incêndio no Algarve. Por isso, uma vez mais foi apresentado o programa "Algarve Seguro". Este ano, o reforço prevê mais nove ambulâncias do INEM e no Aeroporto de Faro há um aumento de 20 elementos do SEF. Ao todo vão estar 1.191 bombeiros e 230 patrulhas diárias da GNR. Para o ministro da Administração Interna trata-se de um reforço suficiente para responder às necessidades na região, mas os autarcas pedem mais.

"Este reforço é semelhante ao dos anos passados, mas é curto. O Algarve tem crescido cada vez mais e a segurança é para nós um dado fundamental. Se calhar podíamos retirar alguns efetivos daquele reforço nas estradas, onde a sinistralidade é algo razoável, e colocar onde fazem mais falta como nas praias, na atividade noturna, próximo das populações do interior. Portanto o foco não está nas multas", afirma António Pina, presidente da Comunidade Intermunicipal do Algarve. O também presidente da Câmara de Olhão diz que faltam efetivos principalmente nas forças de GNR e pede que se crie um batalhão regional para o combate aos fogos florestais, considerando insuficiente depender das associações voluntárias.

"Não podemos deixar o menino cair na água do banho. O Algarve é uma região segura e isso faz parte do património que temos como região turística que recebe muitas pessoas da Europa e do Mundo, mas não podemos deixar cair esse património".

Apesar do representante dos autarcas na região pedir mais meios, o Ministro da Administração Interna prefere destacar o trabalho feito pelas entidades envolvidas. "Naturalmente que todos os autarcas do país gostariam de ter mais meios e mais efetivos, mas aquilo que é preciso recordar é que as forças e serviços de segurança fazem aqui um grande trabalho de cooperação."

De acordo com os CENSOS 2021, o Algarve aumentou o número de residentes por comparação com 2011 em cerca de 4%. Um aumento que faz com que os autarcas peçam que o programa não fique apenas pelo verão. No entanto, o Ministro José Luís Carneiro diz que agora o foco está nesta época alta a sul do país e que aí há um reforço significativo. "Há mais meios humanos, mais materiais e agora também temos o uso das novas tecnologias para antever e prevenir atuando com níveis de prevenção mais elevados".

O presidente da Comunidade Intermunicipal do Algarve diz que aguarda uma reunião com o ministro para mostrar a necessidade de aumentar ainda mais este reforço.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+