Tempo
|
A+ / A-

Cerimónias fúnebres de Eunice Muñoz. “Era uma rainha. Vai fazer muita falta”

18 abr, 2022 - 20:26 • Ana Carrilho

A despedida da atriz que durante 80 anos esteve em cima dos palcos, deixará saudades em todos os que lhe eram próximos ou seguiam a sua carreira artística.

A+ / A-

O último adeus a Eunice Muñoz realizou-se esta tarde na Basílica da Estrela, em Lisboa, com uma mescla de figuras públicas e de anónimos que não quiseram deixar de ir prestar homenagem à atriz que marcou várias gerações em Portugal.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, destaca a forma como Eunice Muñoz viveu - um misto de paixão, partilha e doçura.

Marcelo sublinhou a importância deste último adeus.

“É o último adeus de todos os portugueses a alguém que teve três coisas fundamentais na sua vida, e na maneira de se entregar aos portugueses e à cultura. Primeiro: paixão, tudo o que fez na vida, e o que fez no teatro, e por onde andou, no cinema, na televisão, fez com paixão e por paixão. Segundo: partilha com os outros, ajudava nomeadamente os mais novos. [Por fim] doçura, era uma pessoa doce na forma como se dava com outros. Até ao fim”, definiu o Presidente.

Poucas pessoas, de público anónimo, aguardavam às 17h00 para poder entrar na capela nossa Senhora do Carmo, na Basílica da Estrela. Lá dentro já tinha a companhia de muitos familiares e amigos.

Armindo Rodrigues foi uma das pessoas que chegou bem cedo para se despedir de Eunice. Em poucas palavras, destacou a simplicidade e a bondade da atriz.

“É mesmo uma senhora, uma rainha. Vai fazer muita falta. Era simples, era humilde, era uma pessoa muito simples, muito humilde”, explica.

Também Albertina Machado, apesar das grandes dificuldades de mobilidade, a precisar de amparo, fez questão de marcar presença.

Para prestar homenagem a alguém que conhece desde pequena e cuja carreira sempre acompanhou. Diz que é uma grande perda para teatro e para todos nós.

“Já conheço desde miúda, para mim será sempre uma grande heroína. Uma senhora que tinha 80 anos de carreira, não é qualquer pessoa. Era tão querida, tão simpática. Eu chorei muito. Acho que ela vai fazer falta, é uma perca muito grande no teatro, nas novelas, em tudo”, lamenta.

Entre os muitos artistas que chegaram à Basílica da Estrela estava um grupo que veio da Casa do Artista e entre eles, Manuela Maria. José Raposo, Io Apoloni, Vitor Espadinha e também o ator que sempre esteve mais próximo de Eunice Munoz, Ruy de Carvalho. Visisvelmente emocionado, pediu desculpa aos jornalistas por não conseguir falar.

De uma geração mais nova, Ricardo Carriço, destacou a inspiração que Eunice foi e continuará a ser para todos.

Eunice Muñoz morreu na sexta-feira no Hospital de Santa Cruz, em Lisboa, aos 93 anos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+