Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

Sociedade civil convidada a encontrar soluções para falta de professores

26 mar, 2022 - 12:49 • Fátima Casanova

As conclusões vão ser enviadas ao Ministério da Educação e ao Conselho Nacional de Educação (CNE).

A+ / A-

Pais, docentes e dirigentes sindicais reúnem-se este sábado, em Braga, para definirem propostas que consigam trazer mais professores para as escolas.

Encontro acontece numa altura em que a classe está muito envelhecida, como diz vice-presidente do Sindicato Independente de Professores e Educadores - SIPE.

“O facto de a classe também estar envelhecida faz com que muitas vezes as pessoas fiquem doentes e, tudo isso, acaba por resultar na falta de professores, especialmente na região de Lisboa, mas no grande Porto também já se faz sentir e em localidades do Interior. Quando alguém tem de ir, muitas vezes chega lá e ou não tem onde ficar ou não compensa, porque é caro face aquilo que as pessoas vão ganhar”, explica Rosa Maria Sá.

Matemática e português são as disciplinas com mais carências. Já a físico-química, a geografia, o grupo das educadoras de infância e as professoras do primeiro ciclo são setores bastante envelhecidos.

O sindicato promove este seminário para encontrar soluções para a falta de professores. As conclusões vão ser enviadas ao Ministério da Educação e ao Conselho Nacional de Educação (CNE).

O Ministério da Educação voltou este ano a aumentar o número de vagas para o concurso externo, que permite a integração nos quadros de educadores de infância e docentes, com um total de 3.259 lugares disponibilizados.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Jorge
    27 mar, 2022 Lisboa 21:37
    Mas não era suposto os sindicatos de professores, pensarem na solução? Afinal só servem para uns tachos e receber as quotas?
  • Cidadao
    27 mar, 2022 Lisboa 12:30
    Farto de saber como resolver o problema, está o governo. Mas como para tornar a profissão mais atrativa, tinha de abrir os cordões à bolsa, e investir na escola pública - e o que interessa é dar a Educação aos Privados, ficando a Escola pública com aquele tipo de alunos que o Privado não quer ver nem pintados - vai deixando andar até tudo cair aos bocados
  • Cidadao
    26 mar, 2022 Lisboa 13:40
    O governo não precisa que a Sociedade Civil faça propostas. Há muito que o governo sabe dos problemas da profissão docente, e sabe perfeitamente como resolvê-los. Não o faz, apenas e só porque não quer. Prefere que a Escola Pública caia de podre para depois entregar o Ensino a privados, ficando o residual da Escola Pública, destinado a minorias étnicas, indisciplinados, cabeçudos e chumbões.

Destaques V+