Tempo
|
A+ / A-

"Explorados e mal pagos". Trabalhadores da hotelaria protestam na BTL

18 mar, 2022 - 12:21 • Ana Carrilho

Apesar das diversas associações patronais afirmarem que há falta de mão de obra para a hotelaria e restauração, os dirigentes sindicais acusam os empresários de não quererem negociar melhores salários e condições e que assim, afastam trabalhadores.

A+ / A-

No último dia da Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL) para profissionais, a Federação de Sindicatos da Hotelaria organizou um protesto à porta da FIL do Parque das Nações.

O objetivo é chamar a atenção para a situação dos trabalhadores do setor do turismo.

Apesar das diversas associações patronais afirmarem que há falta de mão de obra para a hotelaria e restauração, os dirigentes sindicais acusam os empresários de não quererem negociar melhores salários e condições e que assim, afastam trabalhadores.

Para António Baião, presidente do Sindicato da Hotelaria do Centro, a BTL, onde todo o setor do turismo está reunido, é o local certo para protestar.

"Estamos aqui a dizer que é preciso olhar mais para a situação dos trabalhadores. Dizer que falta mão de obra no setor, quando na primeira oportunidade que tiveram despediram logo durante a pandemia trabalhadores com contratos a prazo, imigrantes que estavam a trabalhar no setor. Na primeira oportunidade, estes trabalhadores ou foram para a indústria, com horários mais certos, porque na hotelaria trabalha-se sábados, domingos e feriados sem temos compensação e os patrões têm que ver isso ", denuncia o sindicalista.

Segundo o sindicalista da CGTP, não há negociação coletiva com a AHP – Associação da Hotelaria desde 2009. Com a APHORT e a AHRESP, os últimos acordos foram feitos em 2018 e 2019

As associações do setor têm também pedido, recorrentemente, ao Governo que alivie as regras para a entrada de imigrantes no setor.

António Baião frisa que esses cidadãos estrangeiros precisam de ajuda dos sindicatos, porque "vão ser maltratados, mal pagos e explorados"-

O protesto aconteceu de manhã, numa altura em que também começavam a chegar à FIL muitas dezenas de jovens, de escolas de hotelaria e turismo, futuros trabalhadores do setor e que vieram à Feira da Empregabilidade para deixar os currículos e ver quais são as propostas de emprego que as 75 entidades e empresas que aqui estão têm para oferecer.

Segundo apurou a Renascença, há cerca de 10 mil propostas de trabalho, sobretudo na hotelaria. A Feira da Empregabilidade decorre hoje e amanhã, no âmbito da BTL -Bolsa de Turismo de Lisboa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+