Tempo
|
A+ / A-

Mais de 3,5 milhões já receberam dose de reforço da vacina Covid-19

12 jan, 2022 - 18:40 • Ricardo Vieira

Foram vacinadas, até ao momento, com dose de reforço, 90% das pessoas com mais de 70 anos.

A+ / A-

Veja também:


Mais de 3,5 milhões de doses de reforço da vacina contra a Covid-19 já foram administradas em Portugal, revela esta quarta-feira o Ministério da Saúde.

Perto de dois milhões foram administradas a pessoas com mais de 65 anos, segundado dados até ao final do dia de ontem.

Foram vacinadas, até ao momento, com dose de reforço, 90% das pessoas com mais de 70 anos, adianta o Ministério da Saúde, em comunicado.

Entre os 60 e os 69 anos, já estão vacinadas 77% das pessoas, de acordo com o último boletim de vacinação que contempla a população residente em Portugal Continental.

Por seu lado, cerca de um milhão de pessoas receberam as vacinas de reforço contra a Covid-19 e contra a gripe em simultâneo.

Neste momento, é possível realizar o autoagendamento para as pessoas com 60 ou mais anos para dose de reforço contra a Covid-19 e ou da gripe sazonal.

Podem também inscrever-se no Portal do Agendamento os maiores de 45 anos para a dose de reforço contra a Covid-19 e os maiores de 30 anos vacinados vacina Janssen há 90 ou mais dias.

Nas últimas 24 horas, Portugal registou mais de 40 mil (40.945) novos infetados com Covid-19, um novo máximo. Há também a registar mais 20 mortos, de acordo com os dados da Direção-Geral da Saúde.

A variante Ómicron do vírus que provoca a Covid-19 continua a ser perigosa, sobretudo, para as pessoas não vacinadas, alertou esta quarta-feira o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS).

"Sejamos claros: embora a Ómicron cause doença menos grave do que a Delta, continua a ser um vírus perigoso, principalmente para os que não estão vacinados", disse Tedros Adhanom Ghebreyesus, na videoconferência de imprensa regular da organização sobre a evolução da pandemia da Covid-19.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+