Tempo
|
A+ / A-

Pandemia

Covid-19. Vacinadas 48% das crianças entre 5 e 11 anos

10 jan, 2022 - 19:41 • Marta Grosso

DGS lembra que há crianças que ainda não podem ser vacinadas por terem tido a doença. Bastonário da Ordem dos Médicos lamentou hoje que apenas metade dos menores até aos 11 anos tenham sido vacinados.

A+ / A-

Veja também:


Mais de 300 mil crianças com idades compreendidas entre os 5 e os 11 anos já iniciaram a vacinação contra a Covid-19, indica a Direção-Geral da Saúde nesta segunda-feira.

“Tendo em conta que são quase 626 mil os utentes nesta faixa etária, já foram vacinadas aproximadamente 48% das crianças dos 5 aos 11 anos”, sublinha o comunicado enviado às redações.

A DGS destaca ainda que existem “cerca de 45 mil crianças não elegíveis para a vacinação” neste momento por terem contraído a doença nos últimos 90 dias.

“As crianças que não foram vacinadas nestes dias vão ter oportunidade de agendar a vacinação para os próximos períodos dedicados à vacinação pediátrica, a partir de 5 de fevereiro”, indica ainda o documento, salientando que “o número de novos casos de Covid-19 em crianças tem vindo a aumentar, pelo que a Direção-Geral da Saúde recomenda a vacinação das crianças nesta faixa etária”.

A atualização do número da vacinação pediátrica chega no mesmo dia em que o bastonário da Ordem dos Médicos,Miguel Guimarães, lamentou que apenas 50% das crianças entre os 5 e os 11 anos tenham aderido ao processo.

“É uma taxa de vacinação que não honra o nosso país”, considerou, em declarações à Renascença, adiantando que a pouca adesão se deverá a uma má comunicação da importância da vacinação.

De acordo com os números agora veiculados pela DGS, no que toca aos adultos, já foram vacinados com a dose de reforço mais de três milhões e 33 mil (3.332 566), dos quais 23.182 nas últimas 24 horas.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+