Tempo
|
A+ / A-

Covid-19

Vacinação pediátrica. Números “não honram o país”, diz bastonário dos Médicos

10 jan, 2022 - 14:20 • Marta Grosso , Fátima Casanova

Miguel Guimarães defende a disponibilização de dados relativos ao internamento de crianças pelas autoridades de saúde: “quantas estão internadas por miocardite na sequência da vacina ou porque tiveram Covid” e se “são vacinadas ou não vacinadas”.

A+ / A-

Veja também:


O total de crianças entre os 5 e os 11 anos vacinadas até agora não honra o país, afirma o bastonário da Ordem dos Médicos. Na opinião de Miguel Guimarães, ficou-se aquém do desejável.

“Vacinámos apenas cerca de 50% das crianças, o que é uma taxa de vacinação que não honra o nosso país. Nós temos sempre taxas de vacinação bastante mais altas do que estas – aliás, somos um dos países do mundo com maior taxa de adesão à vacinação”, começa por dizer à Renascença.

“Se, nos dias que foram disponibilizados para a vacinação das crianças, era possível ter vacinado todas as crianças, porque havia essa capacidade, e só conseguimos vacinar cerca de 50% não me parece de facto um bom resultado: significa que não estamos a comunicar bem aquilo que é a importância da vacinação”, considera.

Até domingo, foram vacinadas perto de 300 mil crianças até aos 11 anos, cerca de metade do universo elegível.

Segundo Miguel Guimarães, seria importante que as autoridades de saúde disponibilizassem os dados relativos ao internamento de crianças com Covid-19.

“Nós continuamos sem saber os dados que temos no nosso país e, daquilo que vou tendo conhecimento pelo que me dizem os médicos pediatras do que está a acontecer nos seus serviços, temos obviamente crianças internadas por Covid-19 e algumas com doença grave. Quando temos uma situação destas, acho que a Direção-Geral da Saúde devia dar estes dados: quantas crianças é que estão internadas por terem miocardite na sequência da vacina ou que estão internadas por terem miocardite porque tiveram Covid – como sabe a Covid-19 dá muitos mais casos de miocardite que a própria vacina – e que crianças internadas é que temos: são vacinadas, não vacinadas, que tipo de doença têm?”, aponta.

A vacinação pediátrica contra a Covid-19 teve início a 18 de dezembro.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+