A+ / A-

Três milhões já receberam dose de reforço contra a Covid-19

04 jan, 2022 - 08:19 • Olímpia Mairos

Quase dois milhões de vacinas foram administradas em pessoas com mais de 65 anos.

A+ / A-

A dose de reforço da vacina contra a Covid-19 já foi administrada a mais de três milhões de pessoas.

Em comunicado, a Direção-Geral da Saúde indica ainda que também já formam administradas mais de 2,4 milhões de doses da vacina contra a gripe, das quais 477 mil em farmácias.

“Mais de um milhão de pessoas receberam as vacinas de reforço contra a Covid-19 e contra a gripe em simultâneo”, lê-se no comunicado.

Segundo a DGS, até ao final de segunda-feira, dos três milhões de doses de reforço administradas, quase dois milhões foram administradas em pessoas com mais de 65 anos.

De acordo com o último boletim de vacinação (dados para a população residente em Portugal Continental estimada pelo INE para 2020), 88% das pessoas com mais de 70 anos receberam a dose de reforço da vacina contra a Covid-19, e 66% das pessoas entre os 60 e os 69 anos, também já estão vacinadas.

Portugal registou esta segunda-feira mais 10 mortes e chegou aos 19 mil óbitos desde o início da pandemia, tendo contabilizado 10.554 novos casos de Covid-19.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

Uma nova variante, a Ómicron, classificada como “preocupante” pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detetada na África Austral, mas desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta, a 24 de novembro, foram notificadas infeções em pelo menos 57 países de todos os continentes, incluindo Portugal.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+