Tempo
|
A+ / A-

Caminhada Pela Vida realiza-se em dez cidades

19 out, 2021 - 11:20 • Filipe d'Avillez

D. Manuel Clemente e D. Francisco Senra Coelho apelam à participação no evento “em que a vida e defendida na sua integralidade, da conceção à morte natural”.

A+ / A-

A Caminhada Pela Vida regressa este ano, a 23 de outubro, depois de dois anos de interrupção por causa da pandemia.

O evento, que pretende reunir pessoas em defesa da vida em todas as suas fases, terá lugar em dez cidades em simultâneo, com várias a estrearem-se.

Para além da tradicional caminhada em Lisboa, que vai já na sua décima edição, haverá ainda ajuntamentos em Aveiro, Braga, Coimbra, Évora, Funchal, Guarda, Porto, Santarém e Viseu. O início está marcado para as 15h00, pedindo-se aos participantes que tentem chegar às 14h30, e o local de partida de cada caminhada pode ser consultado aqui.

D. Manuel Clemente, que tem apoiado todos os anos a iniciativa, divulgou uma mensagem em que recorda que a verdadeira caminhada em defesa da vida é diária. “Esta caminhada faz-se todos os dias, é um compromisso em que a vida é defendida na sua integralidade, da conceção à morte natural, mas fazendo-se todos os dias também é bom que aconteça de maneira mais manifesta, mais pública, nalguns dias”, diz.

“É um compromisso constante, agora reforçado, para que a vida no arco completo seja verdadeiramente defendida e promovida. Sabemos que a cada momento é de vida que se trata”, sublinha o Patriarca de Lisboa e cardeal.

Também D. Francisco Senra Coelho, arcebispo de Évora, apela à participação e sentido de dignidade dos alentejanos. “Gostava muito que este ‘sim à vida’ fosse assumido na nossa cultura alentejana, de um modo aberto, total e ao mesmo tempo dinâmico.”

“Sei que no coração do alentejano e da alentejana, do nosso povo desta arquidiocese que vai também ao Ribatejo, está viva a dimensão da dignidade da vida. Não fosse um povo sofrido, que sentiu muitas vezes a experiência menos vida pela opressão, pela injustiça, não fosse um povo lutador pela sua liberdade, que é expressão da vida”, diz o arcebispo.

Motards e muçulmanos unidos pela vida

Esta edição da Caminhada Pela Vida acontece numa altura em que se aguarda o regresso do tema da eutanásia ao Parlamento, depois de a primeira lei ter sido chumbada pelo Tribunal Constitucional.

Segundo a organização, está já assegurada a participação em Lisboa, Coimbra e Évora de membros portugueses da Christian Motorcyclists Association, uma associação de motards cristãos.

Os organizadores esperam ainda dar continuidade à tendência das últimas edições de tornar o evento mais abrangente, tendo já a garantia de participação de membros das comunidades evangélicas e muçulmana, que também defendem a inviolabilidade da vida e têm tomado posição firme contra a legalização a eutanásia.

A Caminhada pela Vida em Lisboa, que deverá ser a mais concorrida, está marcada para a Praça Luís Camões.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+