Tempo
|
A+ / A-

Fogo em Castro Marim teve reativação forte e mobiliza mais de 270 operacionais

16 ago, 2021 - 16:26 • Lusa

Esperam-se horas "de muito trabalho" para os operacionais. Incêndio começou às 01h00 da manhã desta segunda-feira.

A+ / A-

O incêndio que deflagrou de madrugada em Odeleite, no concelho de Castro Marim, no Algarve, teve um reacendimento "forte" esta tarde e esperam-se horas "de muito trabalho" para os operacionais, revelou a Proteção Civil.

"Esteve dominado desde as 10h20, mas houve uma reativação forte. As condições meteorológicas não são muito favoráveis, com muito calor e o vento a fazer algumas projeções", afirmou à Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Faro.

Segundo a mesma fonte, a temperatura, o vento e o tipo de combustível existente no local tornavam "expectável" uma reativação e uma "rápida propagação" das chamas, que se conjugam para vir a ser uma tarde "de muito trabalho".


A expectativa é que não seja possível uma "recuperação noturna", já que a humidade vai manter-se "muito baixa" e a temperatura "muito alta" durante a noite, não gerando a esperada "janela de oportunidade" da madrugada, acrescentou a fonte.

"Vamos aproveitar durante o dia com o empenhamento dos meios aéreos, porque à noite não operam e será mais complicado", disse.

As 14 pessoas dos lugares de Pero dos Negros, Amendoeira e Marroquil que foram retiradas das habitações, preventivamente, e deslocadas para o Centro Comunitário do Azinhal, regressarão às suas casas "assim que for possível", também de acordo com a fonte do CDOS.

O alerta para o incêndio, que deflagrou perto da localidade de Pernadeira, na freguesia de Odeleite, concelho de Castro Marim, foi dado às 01h05.

Pelas 16h00, de acordo com a página da Internet da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, estavam no local 271 operacionais, com o apoio de 87 viaturas, além de 10 meios aéreos.

A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) anunciou esta segunda-feira um "agravamento" do estado de alerta devido ao risco de incêndios.

"Com base nas informações do Instituto do Mar e da Atmosfera, a Proteção Civil decidiu manter e agravar o estado de alerta especial para as próximas horas", disse em conferência de imprensa o adjunto de operações da ANEPC, o comandante Mário Silvestre.

Os distritos da Guarda, Castelo Branco, Portalegre e Faro estão em alerta vermelho, o mais grave, até às 23h59 de terça-feira.

Bragança, Viseu, Santarém, Setúbal, Évora e Beja estão em alerta laranja.

Em estado de alerta amarelo ficam Vila Real, Coimbra, Leiria e Lisboa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+