Tempo
|
A+ / A-

Covid-19

Utentes de centro paroquial em Matosinhos quase todos assintomáticos

13 jul, 2021 - 22:50 • Henrique Cunha , Filipe d'Avillez Lusa

Várias pessoas ligadas ao Centro Paroquial Padre Ângelo Ferreira Pinto contraíram Covid-19 apesar de já estarem vacinados, mas não parece haver casos graves.

A+ / A-

Os utentes e trabalhadores do Centro Social Paroquial Padre Ângelo Ferreira Pinto, em Matosinhos, que apesar de terem a vacinação completa voltaram a contrair a Covid-19, estão quase todos assintomáticos ou com sintomas ligeiros.

Ao que a Renascença apurou foram registados 46 infetados entre os utentes e 17 entre funcionários. Uma fonte próxima da instituição revelou que a grande maioria se encontra assintomática.

E em declarações à Renascença, José Pedro Rodrigues, o vereador da proteção civil da câmara de Matosinhos garante o apoio do município a este tipo de situações.

A autarquia quer, diz, “revisitar algumas regras, aspetos da organização que permitam a estas instituições enfrentar este momento que continua a ser um momento muito delicado, e outros aspetos relacionados com a entrega de equipamentos de proteção individual e o apoio na gestão de recursos humanos, que continuam a ser linhas de apoio em aberto por parte do município.”

“A evolução da situação epidemiológica na instituição continua a ser acompanhada muito de perto, as informações sobre essa evolução só a unidade de saúde pública poderá prestar, mas eu creio que se justificará, da parte do município, continuar a acompanhar de perto estas situações e continuar a colaborar com as entidades para que os casos que surjam sejam mais rapidamente resolvidos”, diz ainda.

A autarquia encara com alguma preocupação o facto de estarem a surgir casos positivos em pessoas que já têm a vacinação completa, mas José Pedro Rodrigues, sem falar em concreto do caso do Lar do Centro Social e Paroquial Padre Ângelo, diz que a vacina apresenta um grau de imunização que atenua os efeitos nefastos da covid.

"Encaramos com alguma preocupação o facto de estarem a surgir casos positivos em cidadãos que já têm o ciclo de vacinação completo, que naturalmente estão a ser acompanhados pelas entidades, que terão de avaliar, mas estamos em crer que a vacina adiciona um grau de imunização que, pelo menos, garante que os efeitos por contágio de Covid-19 não se manifestam de forma tão grave como no passado”.

Para ajudar a combater o contágio, o município de Matosinhos tem uma unidade móvel de testes voluntários que percorre as principais praias do concelho: “O município está a procurar corresponder desde o fim-de-semana passado, com uma unidade móvel de testes voluntários, que está para já localizada nas principais praias do concelho, zonas de grande concentração populacional, no sentido de procurar dar também mais uma oportunidade para a testagem voluntária, e para que as pessoas possam ficar a saber melhor a sua condição de saúde para COvid-19 e procurar identificar e eliminar ciclos de contágio.”

“É um esforço que significa muito, sabendo da importância das praias no concelho de Matosinhos”, sublinha José Pedro Rodrigues.

Quanto ao processo de vacinação, o responsável diz tratar-se de um processo em velocidade de cruzeiro e em que a taxa de rejeição é inferior à média nacional. “Temos um quadro de vacinação que decorre a uma velocidade elevada. Foram já administradas 150 mil doses.

“Também temos, segundo informações da unidade local de saúde de Matosinhos, uma taxa de rejeição da vacina inferior à média nacional, pelo que os aspetos relacionados com a vacinação são aspetos que consideramos muito positivos”, conclui.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+