Tempo
|
A+ / A-

Crime em Peniche

Pai e madrasta de Valentina acusados de homicídio da menina

10 nov, 2020 - 09:58 • Celso Paiva Sol

Caso remonta a maio, quando o corpo da criança de nove anos foi encontrado nas imediações da casa do pai, em Atouguia da Baleia, concelho de Peniche.

A+ / A-

O Ministério Público já concluiu a investigação à morte de Valentina e acusa o pai e a madrasta da criança, de 32 e 38 anos, pelos crimes de homicídio qualificado e profanação de cadáver.

O despacho de acusação foi enviado na segunda-feira pelo Ministério Público para o juiz de Instrução do Tribunal de Leiria.

O caso remonta a maio, quando Valentina, de nove anos, foi dada como desaparecida na manhã do dia 7 de maio, depois de uma denúncia do pai no posto da GNR de Peniche.

Depois de dois dias de buscas, o pai acabaria por confessar o crime e indicar à polícia o local onde tinha escondido o corpo. Foi então encontrado nas imediações da casa do progenitor, numa zona de eucaliptos, em Atouguia da Baleia, concelho de Peniche.

Os resultados preliminares da autópsia apontaram para que a criança tenha tido uma morte violenta. Embora haja indícios de asfixia, a criança de terá sofrido agressões em vários locais, o que lhe causou diversas lesões, incluindo na cabeça, segundo fonte policial.

Agora que foi proferida a acusação, o juiz de instrução irá reavaliar as medidas de coação aplicadas ao casal, sendo muito provável que mantenha a prisão preventiva em que já se encontram desde meados de maio.

Durante os dias em que se realizaram buscas para tentar encontrar a criança estiveram envolvidos 600 elementos da GNR, Bombeiros, Proteção Civil, entre outros, e foi abrangida uma área de cerca de quatro mil hectares.

A menina não estava sinalizada pela Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ), informou a entidade, que em 2019 arquivou um processo relativo à menor.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ivo Pestana
    10 nov, 2020 Funchal 15:46
    25 anos é pouco.

Destaques V+