Tempo
|
A+ / A-

Número de vítimas mortais dos grandes fogos de 2017 pode ainda subir

03 jan, 2018 - 11:44 • Marina Pimentel

Um juiz do conselho de atribuição de indemnizações admite esta hipótese, depois de a Renascença ter noticiado que a Provedoria de Justiça trabalha com uma estimativa de 125 mortos nas tragédias.

A+ / A-

Veja também:


Não será surpreendente que o número de mortos dos incêndios de 2017 seja superior ao oficialmente divulgado. A hipótese é admitida por Mário Mendes, que integrou o conselho para a atribuição de indemnizações.

O juiz conselheiro reage à notícia avançada pela Renascença de que a provedora de Justiça trabalha com uma estimativa de 125 mortos (directos e indirectos), um número superior aos 111 (directos e indirectos) já divulgados.

“Não me admira a existência de uma diferença entre os números que neste momento são dados pela Provedoria de Justiça e os números que antigamente eram tornados públicos, uma vez que os critérios da contabilização do número de mortos são da Autoridade Nacional de Protecção Civil e os que resultam dos nossos critérios são diferentes, porque têm as mortes indirectas”, começa por explicar.

Por mortes indirectas são entendidas aquelas que, “não resultando directamente dos incêndios, são determinadas por causas que têm a ver com os incêndios”, explica Mário Mendes.

“É o caso de uma pessoa que foge e é atropelada, uma pessoa que entra em contramão na auto-estrada por uma situação dessas e acaba por falecer, uma pessoa que tem uma doença respiratória e que, por intoxicação pelos fumos, acaba por falecer. Nós considerámos também essas situações”, destaca o juiz conselheiro.

A estimativa de 125 mortos não é o número final de mortos nos grandes incêndios do ano passado. Trata-se de uma estimativa de trabalho que está a ser usada no processo de atribuição de indemnizações às famílias das vítimas. Será necessário averiguar as circunstâncias das mortes, sobretudo das indirectas.

A provedora de Justiça abriu até agora 43 processos de indemnização aos familiares das vítimas dos incêndios de Pedrógão Grande e 15 de Outubro do ano passado. Estes processos correspondem a 81 pedidos apresentados.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • KOSTA 125...
    03 jan, 2018 Lx 13:30
    Assim os kamaradas do governo aumentam o score para as 125 vítimas...Uma tragédia que poderia ter sido evitada com competência. Enquanto morriam as 125 pessoas o kamarada Kosta deu à sola e foi de férias...Assim se vê a fibra deste vendedor de ilusão e de mentira... Um governo refém das corporações da função pública e que não protege os seus cidadãos do interior...

Destaques V+