A+ / A-

Zelensky alerta para "défice artificial" de armas e pede ajuda aos aliados após queda de Avdiivka

18 fev, 2024 - 00:57 • Ricardo Vieira, com agências

Presidente ucraniano diz que manter o seu país num "défice artificial de armamento" permite à Rússia "adaptar-se à atual intensidade da guerra".

A+ / A-

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, lançou este sábado um apelo aos aliados internacionais para que enviem armamento, numa altura em que a Rússia conquistou Avdiivka, uma cidade no leste da Ucrânia.

"Infelizmente, manter a Ucrânia num défice artificial de armamento, nomeadamente de artilharia e capacidade de longo alcance, permite a Putin adaptar-se à atual intensidade da guerra", declarou Zelensky, na Conferência de Segurança de Munique, na Alemanha.

O chefe de Estado ucraniano salientou que a ajuda dos Estados Unidos, que está bloqueada no Congresso, é imperativa para o sucesso no campo de batalha.

"Os ditadores não vão de férias", declarou, num apelo ao Congresso norte-americano, que fez uma pausas de duas semanas nos trabalhos, e ao pacote de ajuda de 60 mil milhões de dólares que aguarda luz verde da Câmara dos Representantes.

Volodymyr Zelensky dirigiu os seus apelos a um grupo de políticos, diplomatas e chefes militares de vários países.

O Presidente ucraniano reuniu-se este sábado com a vice-presidente dos Estados Unidos, Kamala Harris. Zelensky classificou a aprovação da ajuda ao seu país como "vital", enquanto Harris deixou claro que "há apenas um plano A para garantir que a Ucrânia receba o que precisa".

O Ministério da Defesa russo anunciou este sábado que assumiu o controlo total de Avdiivka, após o anúncio da retirada das tropas ucranianas desta cidade no leste do país.

O ministro da Defesa russo, Serguei Shoigu, disse que já informou o Kremlin de que as forças russas estavam agora a tentar eliminar os últimos focos de resistência numa fábrica de produtos químicos de Avdiivka, garantindo o controlo total da cidade.


Biden telefona a Zelensky

O presidente norte-americano, Joe Biden, telefonou este sábado ao homólogo ucraniano para assegurar o seu apoio na guerra contra a Rússia, enquanto a Câmara dos Representantes, nas mãos dos republicanos, se recusa a aprovar um novo pacote de ajuda militar.

"Esta manhã, o exército da Ucrânia viu-se obrigado a retirar-se de Avdiivka depois de os militares ucranianos terem de racionar munições por falta de fornecimento resultante da inação do Congresso", afirmou a Casa Branca, em comunicado.

A retirada, sublinhou Washington, deu à Rússia "o seu primeiro avanço importante em meses", o que sublinha a importância de os legisladores do país se porem de acordo para aprovar o novo pacote de ajuda.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+