Tempo
|
A+ / A-

Borrell pede seriedade a Trump e rejeita NATO "à la carte"

12 fev, 2024 - 11:06 • Lusa

O antigo Presidente dos Estados Unidos Donald Trump sugeriu deixar a Rússia atacar qualquer país que pertença à Aliança Atlântica e que tenha as contribuições para a organização político-militar ou o investimento em defesa abaixo do expectável.

A+ / A-

O chefe da diplomacia europeia pediu esta segunda-feira seriedade ao antigo Presidente norte-americano Donald Trump e rejeitou a ideia de fazer da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO) uma "aliança 'à la carte'.

"Deixem-me ser sarcástico (...). Durante esta campanha vamos ouvir demasiadas coisas. Vamos ser sérios: a NATO não pode ser uma aliança militar 'à la carte', não pode ser uma aliança militar dependente de como o Presidente dos Estados Unidos está a cada dia. Sim, não, amanhã isto, depois aquilo", respondeu Josep Borrell, em Bruxelas, após ser questionado sobre as declarações de Donald Trump durante o fim de semana.

À entrada para uma reunião de ministros com a pasta do desenvolvimento, o alto-representante da União Europeia (UE) para os Negócios Estrangeiros insistiu no apelo à seriedade do antecessor do democrata Joe Biden em Washington.

"Vamos ser sérios. A NATO não pode ser uma aliança 'à la carte'. Ou existe ou não existe. Não vou perder o meu tempo a comentar cada ideia tonta que surgir nesta campanha eleitoral nos Estados Unidos".

O antigo Presidente dos Estados Unidos Donald Trump sugeriu deixar a Rússia atacar qualquer país que pertença à Aliança Atlântica e que tenha as contribuições para a organização político-militar ou o investimento em defesa abaixo do expectável.

O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, considerou que as declarações de Donald Trump são prejudiciais para os 31 países, incluindo Portugal, que compõem a organização.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+