Tempo
|
A+ / A-

Trump diz que vai encorajar a Rússia a fazer o que quiser a países da NATO

11 fev, 2024 - 12:24

O ex-presidente norte-americano critica frequentemente os aliados da Aliança Atlântica.

A+ / A-

O republicano Donald Trump disse no sábado que, se for reeleito Presidente dos Estados Unidos, avisou os aliados da NATO que encorajaria a Rússia a fazer o que entendesse com países com dívidas à NATO.

Trump fez estas declarações enquanto intensificava os ataques à ajuda externa e às alianças internacionais de longa data, ao falar num comício na Carolina do Sul, onde relatou uma história que já antes contara sobre um membro da NATO não identificado que o terá confrontado sobre a ameaça de não defender os Estados que não cumprissem as metas de financiamento da Aliança Atlântica.

O ex-presidente norte-americano critica frequentemente os aliados da organização que não financiam suficientemente a instituição.

"Um dos presidentes de um grande país levantou-se e disse: Bem, senhor, se não pagarmos e formos atacados pela Rússia, vai defender-nos?", relatou o milionário antes de revelar a resposta: Não, não vou proteger-vos mais. Aliás, vou encorajá-los a fazerem o que quiserem. Vocês têm de pagar as dívidas".

"Não pagou, é delinquente", disse Trump ao recordar o episódio.

Esta declaração aconteceu após Trump, provável candidato contra o democrata Joe Biden nas eleições de novembro, fazer pressão sobre os eleitos republicanos no Congresso para rejeitarem um projeto de lei que prevê uma nova ajuda à Ucrânia.

A Casa Branca reagiu veementemente à proposta do ex-presidente: "Encorajar a invasão dos nossos aliados mais próximos por regimes assassinos é confrangedor e insano", afirmou o porta-voz da Casa Branca, Andrew Bates, no sábado à noite.

"Em vez de apelar à guerra e promover o caos, o Presidente Biden continuará a apoiar a liderança norte-americana", acrescentou.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Liberato
    11 fev, 2024 Almada 19:34
    Pelo que se tem visto, muitos norte-americanos apoiam Trump e as suas posições e é bem possível este derrote Biden nas próximas eleiçõesp sem que a justiça lá do sitio o impeça de concorrer. Com aliados assim quem precisa de inimigos??
  • Sara
    11 fev, 2024 Lisboa 18:05
    Ele já avisou há alguns meses se ganhar, o que vai fazer à europa, a Europa cá dia mais frágil, a guerra na Ucrânia, já cheira aos lagares de azeite.acordem!

Destaques V+