Tempo
|
A+ / A-

guerra no médio oriente

Números de mortos em guerra Israel-Hamas sobe para 1.600

10 out, 2023 - 09:15 • Redação

As forças israelitas adiantam ainda que 1500 militares do Hamas foram encontrados mortos em território israelita.

A+ / A-

No quarto dia do conflito, o número de mortos continua a aumentar. Depois de uma noite de bombardeamentos, o número oficial aponta, esta terça-feira, para mais de 900 israelitas mortos e 700 palestinianos, incluindo 140 crianças. Milhares de pessoas continuam também feridas.

Segundo a Al-Jazeera, as forças israelitas atacaram a Faixa de Gaza, onde vivem pelo menos 2,3 milhões de pessoas, com mais de 200 ataques via aérea.

Os bombardeamentos aconteceram depois de Israel ter anunciado um "cerco total" a Gaza , incluindo a proibição de entrada de alimentos e combustível e ainda o corte de eletricidade.

Foram ainda encontrados 1500 corpos de militares do Hamas em território israelita. Até aqui, o exército falava de mil combatentes palestinianos infiltrados.

Também segundo a ONU, mais de 187 mil pessoas foram deslocadas na Faixa de Gaza e espera-se que o número aumente.

Mohammed Saber/EPA
Mohammed Saber/EPA
 Mohammed Saber/EPA
Mohammed Saber/EPA
Mohammed Saber/EPA
Mohammed Saber/EPA
Haitham Imad/EPA
Haitham Imad/EPA
Mohammed Saber/EPA
Mohammed Saber/EPA
Mohammed Saber/EPA
Mohammed Saber/EPA
Mohammed Saber/EPA
Mohammed Saber/EPA

A agência informou num relatório atualizado que estão ser abrigadas cerca de 137.500 pessoas em 83 escolas que administram na Faixa de Gaza, mas que estão superlotadas, com algumas a fornecer apenas água potável limitada.

Quase meio milhão de pessoas não tem acesso às rações fornecidas pela ONU, uma vez que estes centros de distribuição fecharam.

O Ministério da Saúde palestino, em comunicado, apelou já a “um corredor sanitário de forma a assegurar a entrada urgente de cuidados médicos”.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+