A+ / A-

Guerra na Ucrânia

Ucrânia. Bombardeamentos fazem mais de uma dezena de mortos e feridos

26 jan, 2023 - 15:26 • Teresa Paula Costa com agências

Ataques russos com mísseis e "drones" visaram, sobretudo, instalações energéticas em 11 locais do país.

A+ / A-

Pelo menos 11 pessoas morreram e outras 11 ficaram feridas, esta quinta-feira, em novos bombardeamentos russos em grande escala na Ucrânia, declarou o porta-voz dos serviços de emergência.

Os ataques visaram, em particular, instalações energéticas.

Em declarações à televisão ucraniana, Oleksandre Khorunejy disse que "11 pessoas ficaram feridas e, infelizmente, outras 11 morreram".

Segundo o porta-voz, no total, 11 regiões do país foram alvo dos bombardeamentos russos com mísseis e drones, que explodem contra os alvos.

A mesma fonte país revelou que as defesas aéreas ucranianas abateram 47 dos 55 mísseis russos disparados contra a Ucrânia, depois de a Alemanha ter autorizado o envio de tanques Leopard 2 para o país invadido.

Segundo o jornal britânico The Guardian, em Kiev acreditava-se que um homem de 55 anos tinha sido morto, enquanto as autoridades em Zaporíjia dão conta de três vítimas mortais.

Por outro lado, o comandante das Forças Armadas, Valerii Zaluzhnyi, disse que 20 mísseis tinham sido abatidos sobre a capital.

Os bombardeamentos desta quinta-feira dão seguimento às investidas russas no território que tiveram início há quase um ano.

Já durante a manhã, uma outra pessoa morreu e duas ficaram feridas na sequência de disparos de mísseis russos contra o bairro de Golosiivsky, no sul de Kiev, disse o presidente da autarquia da capital ucraniana, Vitali Klitschko.

A nova vaga de mísseis disparados pela Rússia contra a Ucrânia ocorre um dia depois de a Alemanha ter concordado com o envio dos blindados Leopard 2 para as forças ucranianas, provocando o forte protesto de Moscovo.

Para Volodymyr Zelensky, a investida da Rússia pode prosseguir para outros territórios da europa.

Recorde-se que o presidente ucraniano disse à Sky News que "a Ucrânia é só o primeiro passo para ele [Putin]."

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+