Tempo
|
A+ / A-

EUA

Alex Jones abre falência após ser condenado a pagar indemnização de 965 milhões

02 dez, 2022 - 15:28 • Redação

Os documentos judiciais entregues num tribunal de Houston mostram que o conspiracionista ativou o chamado Capítulo 11 da bancarrota, para obter garantias de proteção dos credores.

A+ / A-

O conspiracionista de direita Alex Jones, que em outubro foi condenado a pagar quase mil milhões de dólares de indemnização às famílias das vítimas do tiroteio de Sandy Hook, declarou bancarrota, de acordo com documentos judiciais a que alguns media norte-americanos tiveram acesso.

No mês passado, Jones foi condenado a pagar não só a indemnização recorde por causa das alegações de que o massacre na escola primária de Sandy Hook, em 2012, foi falseado, mas também 473 milhões de dólares (cerca de 453 milhões de euros à taxa de câmbio atual) em danos punitivos.

Ainda antes da leitura dessa sentença, o site que serviu de canal privilegiado de informação para Alex Jones durante mais de uma década, o InfoWars, também abriu falência.

Ainda no contexto do tiroteio em Sandy Hook, Jones foi condenado, num julgamento distinto no Texas, a pagar uma indemnização de cerca de 45 milhões de dólares aos pais de uma das crianças mortas naquele massacre.

Durante anos, Jones alegou que o tiroteio que provocou a morte de 20 crianças e seis funcionários da escola primária de Sandy Hook, em Newtown, no Connecticut, foi encenado por atores como parte de um plano do Governo para aumentar os controlos à posse de armas de fogo por cidadãos norte-americanos. Desde então, o conspiracionista já admitiu que o massacre teve mesmo lugar.

Os documentos judiciais entregues no tribunal de Houston, no Texas, mostram que Jones ativou o chamado Capítulo 11 da bancarrota, para obter garantias de proteção dos credores.

Nos mesmos documentos é referido que o disseminador de teorias da conspiração tem bens avaliados entre 1 e 10 milhões de dólares, contra entre mil e 10 mil milhões de dólares em obrigações. Também há referências ao Free Speech Systems, empresa detentora do InfoWars, e ao facto de esta ter igualmente aberto falência em julho.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+