Tempo
|
A+ / A-

​Embaixador português chamado pelo governo Qatari. “É normal em diplomacia”

24 nov, 2022 - 09:30 • João Cunha , Cristina Nascimento

Regime não terá gostado das declarações, consideradas "hostis", de altas figuras do Estados português, incluindo o Presidente da República.

A+ / A-

O antigo diplomata e ministro dos Negócios Estrangeiros Martins da Cruz desvaloriza a chamada do embaixador português no Qatar para prestar esclarecimentos sobre as declarações de Marcelo Rebelo de Sousa.

“Por muito estranho que pareça é uma coisa normal em diplomacia, faz-se mais frequentemente do que a opinião pública pensa”, diz à Renascença o antigo governante.

Segundo a CNN Portugal, o embaixador Paulo Pocinho ouviu das autoridades qataris o desagrado face a declarações de altas figuras do Estado português, entre as quais o Presidente da República, consideradas “hostis”.

Em causa estão, sobretudo, as palavras de Marcelo Rebelo de Sousa que, após o jogo com a Nigéria, antes da partida da seleção para o Qatar, reconheceu que o país organizador do Mundial de futebol não respeita os direitos humanos, preferindo esquecer essa circunstância para se focar na equipa.

Nesta entrevista à Renascença, Martins da Cruz considerou menos normal a posição qatari que terá invocado história relação de amizade como justificação para não tomar atitudes mais drásticas.

“Já não é tão normal, mas também não é descabida, porque também é uma fórmula de dizer, talvez com paternalismo a mais, ‘portaram-se mal, mas como somos amigos há muito tempo, não vamos levar isso que fizeram de mal em consideração’”, argumenta.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+