Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Ataque em escola na Rússia. Onze crianças entre os 15 mortos

26 set, 2022 - 09:30 • Olímpia Mairos , com agências e redação

Putin já reagiu ao tiroteio, que teve lugar na escola número 88, em Izhevsk, com quase 1.000 alunos e 80 professores. Motivações do atirador ainda não são conhecidas.

A+ / A-
Foto: Andrey Korotkov/EPA
Foto: Andrey Korotkov/EPA
Foto: NEXTA/Twitter
Foto: NEXTA/Twitter

Um ataque a tiro obrigou a evacuar uma escola na cidade de Izhevsk, no centro da Rússia. A informação está a ser avançada pelas agências do país RIA Novosti e TASS.

Numa mensagem divulgada pelo Kremlin, o Presidente russo, Vladimir Putin, classificou o ataque como um “ato terrorista desumano”.

A agência RIA Novosti avançou, num primeiro balanço, a existência de 13 mortos. Entre as vítimas, contavam-se sete crianças.

De acordo com a ABC News, há agora "pelo menos 15 pessoas, incluindo 11 crianças, mortas depois de um homem ter aberto fogo numa escola no centro da Rússia esta segunda-feira", informaram as autoridades.
De acordo com as várias agências de notícias, o autor do ataque terá cometido suicídio no local, não tendo ainda sido identificado.

O Comité de Investigação da Rússia refere, por sua vez, que o homem estava a utilizar uma t-shirt preta com símbolos Nazis e um gorro que só deixava ver os olhos.

Segundo as autoridades, “não tinha quaisquer documentos, a sua identidade está a ser investigada”.

O incidente ocorreu na escola número 88, em Izhevsk, com quase 1. 000 alunos e 80 professores. O motivo do ataque é, ainda, desconhecido.

No local estão ambulâncias e serviços de segurança russos.

Na Rússia, sucedem-se as manifestações contra a mobilização para a guerra na Ucrânia decretada por Vladimir Putin.

Já esta manhã, um comandante local russo, que estava a gerir a mobilização de civis na cidade de Ust-Ilimsk, na região siberiana de Irkutsk, foi alvejado por um homem russo que se recusou a lutar na guerra na Ucrânia.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+